Irreconhecível, o Paraná Clube sofreu, no sábado passado, a terceira derrota na Série B. Um resultado que poderia ser visto com naturalidade não fossem as inúmeras falhas ocorridas ao longo do jogo em Arapiraca e que terminou com o placar de 4 x 2 para o ASA-AL.

“Vamos lá, tentar explicar o inexplicável”. A frase do técnico Roberto Fonseca, antes da coletiva pós-jogo, dá a dimensão do que representou esse revés contundente. “Erramos demais e o placar foi o castigo para quem erra tanto”, resumiu o treinador.

Os números comprovam o “acidente de percurso”. Até então, o Tricolor havia sofrido somente seis gols em nove jogos. Sob o comando de Fonseca, a questão é ainda potencializada.

Nos seis jogos do técnico à frente do time, o Paraná sofrera somente três gols. A solidez defensiva sempre foi apontada como o ponto alto da sua equipe. “É difícil encontrar um motivo específico. O time se descontrolou com o pênalti no início do jogo e aí veio uma sucessão de erros que não vinham sendo comuns pra gente”, analisou o técnico.

Até mesmo quando o Tricolor reagiu, marcando um gol e criando duas oportunidades para o empate, não se viu a mesma estabilidade de outrora. Pouco depois, em mais um descuido de marcação, o Paraná sofreria o terceiro gol, esfriando a reação.

Um fato que se repetiria no segundo tempo, com direito a um pênalti desperdiçado. “Tentei bater no meio do gol, com segurança, pois tinha certeza que o goleiro ia escolher um canto”, tentou justificar o atacante Giancarlo.

“Acho que ele teve sorte, pois a bola bateu no bico da chuteira”, lamentou o jogador, que, mesmo tendo marcado o segundo gol do Paraná, já sofre críticas pelo excesso de oportunidades desperdiçadas.

Pressão no G4

Quando o Paraná fez o segundo gol – neste momento os dois times tinham dez jogadores em campo, devido às expulsões dos zagueiros Cris e Émerson -, a equipe deu sinais de que “voltaria pro jogo”.

Só que aí, em nova falha de marcação, veio o quarto gol do time alagoano, definindo a sorte da partida. “Temos que conversar internamente e ver o que aconteceu. Não é comum um declínio de produção tão grande. Mais uma vez, deixamos escapar a chance de armazenar uma gordura”, reconheceu o goleiro Zé Carlos.

Com a derrota em Arapiraca, o Tricolor permitiu a aproximação de vários clubes, todos de olho em uma vaga no G4. “Ao menos, nos mantivemos na área de classificação. Mas em casa não podemos ter novo apagão”, concluiu Roberto Fonseca.