Um dos destaques do Palmeiras no Campeonato Brasileiro, o meia Robinho teve seu nome especulado no futebol árabe e o simples fato de surgir o boato de que ele poderia ser negociado já criou uma confusão familiar. Ele revelou que sua mulher ficou preocupada e “descartou” o negócio imediatamente ao saber da possibilidade de ter que se aventurar em terras árabes.

“Não chegou nada de Arábia para mim. Quando começaram a falar sobre isso, minha mulher fez umas pesquisas e já falou: ‘Não vou para a Arábia, não’. Se ela não vai, eu não vou também”, disse o meia.

De fato, essa possível proposta jamais apareceu. Boatos dão conta de que seria algo em torno de R$ 15 milhões, mas que o Palmeiras não estava interessado em negociação. No clube, negam que tenham chegado alguma oferta, mas confirmam que o interesse é manter o jogador, que embora não tenha ido tão bem contra a Chapecoense, é um dos atletas mais regulares do Palmeiras na temporada.

Depois de brincar sobre a situação, Robinho falou mais sério e disse que, caso a proposta apareça e seja boa para todos os lados, aceitaria deixar o clube. “Claro que, se vier uma proposta boa e o Palmeiras me negociar, terei que ir para lá, mas quero ficar e trabalho para isso. Não estou sabendo de oferta nenhuma mesmo”, reafirmou.

Além da boa fase e da adaptação ao Palmeiras, outro motivo que faz o jogador não se empolgar muito com a ideia de ir jogar na Arábia é o fato de não ter mais o apoio dos torcedores. “Desde janeiro, a torcida vêm mostrando que está afim de apoiar e estávamos dando vacilos dentro de casa, não representando a torcida como queríamos. Agora pegamos o espírito do Brasileiro e da ajuda do torcedor. O que eles fazem é lindo demais, gritando o tempo todo, até nos momentos mais complicados”, comentou.