Madri – Vanderlei Luxemburgo, enfim, pôde sorrir. Depois de três derrotas consecutivas do Real Madrid, e de boatos de que poderia ser demitido, o treinador brasileiro viu sua equipe vencer em casa e sair do sufoco no Campeonato Espanhol. O alívio veio ontem, com os 3 a 1 de virada sobre o Athletic Bilbao, no encerramento da quarta rodada do torneio de 2005-06. Robinho e Raúl (2) levaram alegria ao Estádio Santiago Bernabéu.

O Real optou por esquema mais seguro, em um jogo que se imaginava tenso por causa dos tropeços diante de Cadiz e Celta, pelo torneio doméstico, e Lyon, na Liga dos Campeões. Gravesen e García entraram em campo com a missão de segurar o meio-campo, enquanto Beckham, Raúl e até Robinho se expuseram menos na frente.

Essa postura fez com que o jogo se tornasse monótono. Mas, aos 24 minutos do primeiro tempo, o zagueiro Jonathan Woodgate começou a mudar a história da partida. O inglês estreava na competição, depois de 13 meses de espera – sofreu contusão ao chegar à Espanha -, procurou mostrar serviço e se deu mal. Um cruzamento inócuo do lado esquerdo do ataque do Bilbao desviou em sua cabeça, enganou Casillas e morreu no gol.

A sorte do Real começou a mudar na etapa final. Luxemburgo colocou Guti no lugar de Gravesen e a equipe ficou mais leve e veloz. A pressão se transformou em empate aos 9 minutos, com bola cruzada por Beckham que encontrou Robinho no meio do caminho. Foi o primeiro gol do ex-jogador do Santos desde que chegou em Madri.

O Real continuou a dominar e virou aos 20 minutos: Guti lançou Ronaldo, que, dentro da área, percebeu Raúl livre. O queridinho da torcida local teve o trabalho de empurrar para o gol.

Aos 24 minutos, Raúl fez o terceiro gol, após cobrança de escanteio. Com o resultado, o Real foi a 6 pontos, dois a mais do que o Bilbao e três atrás do líder Celta.