O campeonato paranaense é mal organizado? É. É confuso, com muitos clubes? É. Tem problemas que parecem insolúveis? Tem. Mas pergunte para os torcedores de Adap Galo e Cianorte se eles estão preocupados com isso. Para os dois times (e suas torcidas), o importante é que o interior do Paraná está dominando a primeira fase e que os dois times duelam às 16h, no Albino Turbay, pela liderança do estadual.

Nos números frios da classificação, o Galo permanecerá na ponta mesmo que perca a partida fora de seus domínios – a menos que o Leão do Vale do Ivaí aplique uma goleada por cinco gols de diferença (se for por quatro, os times ficariam rigorosamente iguais). Mas esta não seria uma tarefa fácil. E o Cianorte sabe disso, pois o time de Maringá ainda não perdeu no paranaense.

E é esse o desafio para o técnico Cláudio Tencati – fazer com que seus jogadores acreditem que é possível vencer o líder do campeonato. Do lado do Galo, o técnico Itamar Bernardes se preocupa com a seqüência de jogos, pois terá que vir a São José dos Pinhais na terça para jogar 17 minutos do jogo com o J. Malucelli, por causa da surpreendente decisão do Tribunal de Justiça Desportiva, que impugnou os minutos finais da partida válida pela sexta rodada por causa do erro do árbitro Edemar Paris. Mesmo assim, a expectativa é de um grande jogo, com casa cheia no Albino Turbay.

Sem a mesma motivação, mas também com boas expectavivas, jogam Londrina e Rio Branco, também às 16h (horário de todos os jogos de hoje), no Vitorino Gonçalves Dias. O Tubarão terá problemas, pois não poderá contar com Macalé, Bruno Barros e Edmílson, expulsos contra o Coritiba. O Leão da Estradinha ainda comemora a histórica classificação na Copa do Brasil, mas volta-se ao estadual para continuar entre os primeiros.

Outro que precisa ?se segurar? é o Paranavaí, que levou uma sapecada do Londrina (6×2) na rodada passada e tenta a recuperação jogando fora de casa, contra o desesperado Nacional, no Erick George, em Rolândia. Nova derrota praticamente tira as chances do NAC fugir do rebaixamento.

O outro time na zona perigosa é o Roma, que vai a Engenheiro Beltrão para enfrentar o alvinegro local no João Cavalcante de Menezes. Os donos da casa precisam vencer para manter as hoje remotas chances de classificação – e também para afundar ainda mais o time de Apucarana.