Faltam apenas quatro jogos ou dezenove dias dias para o fim da temporada. Depois de ser escanteado ao longo de boa parte deste returno, Rogerinho volta, enfim, à condição de titular. Vai ter que superar a falta de ritmo contra o Gama.

Com a reformulação geral do elenco, na virada do turno, o ala-esquerdo deixou de ser aproveitado pela nova comissão técnica. Antes titular, Rogerinho teve que se acostumar com o fato de sequer ser relacionado para o banco de reservas.

Mesmo diante de um quadro pouco animador, Rogerinho nunca reclamou, nem mudou sua rotina de treinamentos. “Não larguei, como se diz na gíria. Segui trabalhando, esperando uma oportunidade. Fiquei no banco, não entrei, mas sempre dando força aos companheiros”, disse o jogador, com simplicidade e focado na meta de tirar o Paraná do risco de rebaixamento. “Os resultados da rodada foram bons. Perdemos uma posição, mas nos mantivemos com uma boa vantagem sobre os quatro últimos”, lembrou o jogador.

Com as derrotas de Criciúma e Fortaleza, o Tricolor se manteve a quatro pontos da ZR. “Vamos atrás da vitória. Se não der, não podemos perder. Mas vamos jogar pelos três pontos”, destacou Rogerinho. O ala tem a convicção que este será um jogo “quente”.

“Eles jogam a vida. Se perderem, estarão praticamente rebaixamos. É importante não darmos espaços, com muita atenção nas bolas paradas, que é um ponto forte do time do Gama”, arrematou Rogerinho.