São Paulo – Romário entra em campo pela última vez com a camisa da seleção brasileira na madrugada de amanhã. Aos 38 anos, o atacante faz sua despedida em Los Angeles, Estados Unidos, às 2 horas (de Brasília), em amistoso entre tetracampeões mundiais e atuais e ex-jogadores mexicanos. Quando começou a ser organizada, a festa, que também será a despedida do goleiro mexicano Jorge Campos, era para ser a última partida internacional de Romário. Agora, porém, pode ser seu adeus definitivo dos gramados.

“Existe a possibilidade, sim”, disse Romário, ontem, em entrevista para emissoras de tevê. “Mas nada está definido ainda.” O plano original do atacante era encerrar a carreira em 2005. Porém, depois da briga com o técnico Alexandre Gama, no mês passado, Romário foi demitido do Fluminense e está sem clube. Sendo assim, ou pára depois do jogo de amanhã, ou continua as conversas que começou com Eurico Miranda e assina contrato de três meses com o Vasco, clube que o lançou como profissional em 1985, e participa do Campeonato Carioca do ano que vem.

Romário completa 39 anos em janeiro. O amistoso com os mexicanos será sua 88.ª partida com a camisa da seleção. Estão confirmadas as presenças de Taffarel, Jorginho, Aldair, Ricardo Rocha, Dunga, Raí e Mazinho. Ao lado do gramado estará Carlos Alberto Parreira, o técnico do tetra. Outros que podem participar da festa são: Bebeto, Branco, Leonardo e Márcio Santos. Ronaldo, que tinha 17 anos e era reserva no Mundial, foi convidado, mas acabou não sendo liberado pelo Real Madrid.

A Copa de 94 foi o ápice da carreira de Romário. O título foi conquistado em Los Angeles, mas não no mesmo estádio do amistoso. Na Copa, o Brasil fez a semifinal – 1 a 0 com a Suécia gol de Romário – e a final com a Itália na cidade, mas no estádio Rose Bowl. A despedida, entretanto, será no Los Angeles Coliseum, estádio construído para a Olimpíada de 1932 e que já foi transformado em estádio de beisebol e atualmente abriga partidas de futebol e futebol americano e tem capacidade para 68 mil pessoas. O jogo tem transmissão ao vivo do SporTV.

Goleiro-atacante

Romário divide a festa com outro jogador que marcou a década de 90, o irreverente Jorge Campos, que defendeu a seleção mexicana de 1991 até o ano passado – foi titular nas copas de 94 e 98 e reserva na de 2002. Ao todo, o goleiro fez 130 jogos pelo México e sofreu 123 gols. Campos não ficou famoso só pelas boas defesas, mas também por, de vez em quando, tirar as luvas e aparecer como atacante. Só pela seleção foram dois jogos inteiros como centroavante e, em outros sete, começou como goleiro e virou atacante no decorrer da partida.

Não à toa, Jorge Campos deve atuar ao menos parte da festa no ataque. Em 94, o México passou da primeira fase e acabou eliminado nas oitavas-de-final pela Bulgária, nos pênaltis. Daquele time, estarão presentes Claudio Suárez, Luis Garcia, Benjamín Galindo, Zaguinho, Marcelinho Bernal e Ignacio Ambriz. Também deve jogar o veterano atacante Luis Hernández, ex-destaque da seleção mexicana e atualmente sem equipe, e os atacantes, ainda em atividade, Cuauhtémoc Blanco e Jesús Arellano.