Embalado pela sequência de três vitórias que o colocou na liderança do Mundial de Pilotos, Nico Rosberg preferiu adotar um discurso cauteloso às vésperas do GP da Malásia, agendado para o próximo domingo no Circuito Internacional de Sepang. O alemão apontou que Ferrari e Red Bull estão em ascensão e representam um risco real para a 16ª etapa da temporada.

Rosberg, porém, reconheceu que vive grande momento desde a retomada do campeonato da Fórmula 1 após férias do verão europeu, com um desempenho que o deixou com uma vantagem de oito pontos para o inglês Lewis Hamilton, seu companheiro de equipe e segundo colocado no Mundial de Pilotos.

“É uma incrível posição para estar como piloto, sabendo que você tem a chance de ganhar a cada semana. Mas eu não levo isso como uma garantia. Eu tive boas corridas ultimamente e estou curtindo o momento. Mas é uma corrida de cada vez e o jogo está aberto. Red Bull e Ferrari estão ambas próximas e tornam tudo muito difícil, por isso haverá alguns fins de semana difíceis pela frente”, afirmou, lembrando que venceu a última prova, o GP de Cingapura por uma diferença mínima, de apenas 0s488, para o segundo colocado, o australiano Daniel Ricciardo, da Red Bull.

Rosberg também lembrou que no ano passado a Mercedes não teve sucesso no GP da Malásia, que foi vencido pelo alemão Sebastian Vettel, embora a sua equipe tenha levado os seus dois pilotos ao pódio, com Hamilton na segunda colocação.

“A Malásia não funcionou perfeitamente para nós no ano passado, por isso, se pudermos ganhar desta vez contra adversários tão resistentes, isso seria realmente incrível”, afirmou.

O primeiro treino livre para o GP da Malásia será disputado na próxima quinta-feira, a partir das 23 horas (de Brasília). A largada está agendada para as 4h do próximo domingo.