Monza, Itália – Rubens Barrichello conquistou a primeira vitória na temporada, a oitava na carreira, e ficou ainda mais próximo de assegurar o vice-campeonato do Mundial de F-1. Para confirmar a posição na próxima corrida, dia 26, na China, o brasileiro precisa ficar quatro pontos à frente do inglês Jenson Button, da BAR, que terminou em terceiro ontem. O alemão Michael Schumacher chegou em segundo lugar para delírio da torcida italiana, que festejou a oitava dobradinha da escuderia, atual campeã de construtores e pilotos, no ano.

Além de marcar dois pontos com a sétima posição, o brasileiro Antonio Pizzonia bateu o recorde de velocidade em uma prova de F-1. Ele chegou aos 369 Km/h e desbancou a antiga marca, pertencente ao alemão Michael Schumacher (367km/h).

Na última volta, na tentativa de ultrapassar o escocês David Coulthard, da McLaren, os dois acabaram se chocando na chicane, mas não perderam posições. Ricardo Zonta, da BAR, foi o 11.º seguido do compatriota Felipe Massa, da Sauber.

Com a vitória de ontem, a segunda de Barrichello em Monza – ele já havia ganhado esta corrida em 2002 – o brasileiro alcançou 98 pontos (recorde do brasileiro na F-1), contra 71 de Button. Já com o título conquistado por antecipação, Schumacher foi a 136.

Pela primeira vez no ano, Barrichello terminou na frente do heptacampeão mundial, que venceu 12 provas em 2004. Schumacher chegara em primeiro na Austrália, Bahrein, Espanha, Nurburgring, Canadá, EUA e Hungria.

O GP da China estréia no calendário da Fórmula 1 em 2004, como parte da expansão da modalidade nos países asiáticos. O circuito de Xangai conta com 5.451m, é um dos mais longos percursos da temporada.

Três paradas não impediram a vitória

Monza, Itália –

Pole-position, Rubens Barrichello largou com pneus intermediários, já que choveu muito até pouco antes da largada. Com a pista molhada, o piloto brasileiro disparou na ponta e chegou a abrir quase sete segundos de vantagem nas três primeiras voltas.

Porém, na quinta volta, já com céu aberto, a pista secou e o brasileiro precisou fazer um pit-stop para trocar de pneus, passando a realizar uma corrida de recuperação.

Ao contrário dos demais pilotos, Rubinho optou por uma estratégia de três paradas. Fez o seu segundo pit quando estava em quarto e voltou na liderança. Bem ao estilo Schumacher, passou a fazer seqüências de voltas rápidas para na terceira troca de pneus e reabastecimento se manter na liderança. Foi do brasileiro a volta mais rápida da corrida, com 1min21s046.

Ontem, foi a vez de Schumacher ajudar Rubinho. No exato momento em que o brasileiro voltava de seu terceiro pit-stop, o alemão ultrapassava Jenson Button, o que impediu o inglês de tentar manter a liderança que era provisória.

Na sexta-feira, Barrichello afirmou que considerava mais importante vencer uma corrida do que conquistar o vice-campeonato. Como já atingiu seu primeiro objetivo e está muito próximo de terminar a temporada na segunda colocação, a nova meta é ganhar o GP Brasil, última prova da temporada, no dia 24 de outubro.