Depois do fraco rendimento nos treinos livres desta sexta-feira (31) – foi 14º colocado na primeira sessão e 16º na segunda -, Rubens Barrichello admitiu que tem poucas chances de bom resultado no GP do Brasil de Fórmula 1. Segundo o piloto brasileiro, o problema é a falta de eficiência do carro da Honda.

“Não tenho mais nada para tirar dele”, afirmou Rubinho, ao falar sobre o carro da Honda. “Talvez na chuva eu consiga ir um pouco melhor, mas acontece que a equipe passou todo o desenvolvimento do veículo para o próximo ano. Então, não tenho muito o que fazer”.

De qualquer maneira, os treinos desta sexta-feira, em Interlagos, serviram para Rubinho fazer uma homenagem ao piloto brasileiro Ingo Hoffmann, o maior campeão da história da Stock Car: está utilizando um capacete igual ao dele. “Pouca gente sabe, mas foi ele quem me deu o primeiro capacete, de cor laranja. Por isso decidi fazer esta homenagem”, explicou Barrichello.