Com esperança de ainda conseguir uma vaga para disputar a temporada 2009 da Fórmula 1, Rubens Barrichello viajou para a Inglaterra nesta semana para se encontrar com Ross Brawn, o diretor da equipe Honda. No encontro, o piloto brasileiro tentou mostrar ao antigo chefe que mantém a disposição e o desejo necessários para continuar na escuderia, caso ela seja mesmo vendida.

Aos 36 anos, Rubinho tinha contrato com a Honda apenas até o final desta temporada. E, enquanto ele esperava contato para uma possível renovação, a montadora japonesa anunciou sua saída da Fórmula 1, colocando a equipe à venda. Assim, a negociação da escuderia poderia dar a chance de o piloto brasileiro continuar na categoria – por isso, ele viajou para conversar pessoalmente com Ross Brawn.

“Falei para Ross que não estou velho e que estou pronto para correr. Não me vejo parando agora, pois ainda tenho velocidade e minha experiência pode ajudar a equipe”, disse Rubinho, em entrevista publicada nesta quinta-feira no site da revista inglesa Autosport, mostrando que descarta a aposentadoria. “Também disse que não quero assinar apenas mais um ano de contrato. Quero dois ou três anos de compromisso.”