Rivais históricos em diversas áreas e nos esportes olímpicos desde a existência da União Soviética, Rússia e Estados Unidos escrevem nesta quarta-feira, no Estádio Kuban, em Krasnodar, mais uma página de um confronto futebolístico com histórico ainda curto.

As duas seleções se enfrentaram 10 vezes, apenas quatro depois da dissolução do bloco soviético. Os russos venceram seis partidas, os americanos apenas uma e três jogos acabaram empatados. Nas quatro vezes que enfrentou a Rússia, os Estados Unidos não venceu nenhuma – são duas derrotas e dois empates.

A partida, para o técnico da seleção russa Fabio Capello, servirá como possibilidade para testar alguns promissores jogadores do futebol do país, como o lateral esquerdo Vladimir Granat, do Dínamo de Moscou, o meia Denis Cheryshev, do Real Madrid B, e Fyodor Smolov, do Anzhi, entre outros.

Quem também vai ganhar nova chance de ser titular na equipe é o atacante Aleksandr Kokorin, de 21 anos, que virou um dos “queridinhos” do treinador italiano. Além disso, o jogador do Dínamo de Moscou vem se destacando no Campeonato Russo, no qual já marcou seis gols.

Apesar de ainda estar procurando a formação ideal de sua equipe, Capello vai se mantendo invicto no comando da Rússia, com quatro vitórias nas Eliminatórias europeias para a Copa do Mundo e com um empate em amistoso com Costa do Marfim.

Os Estados Unidos, que estão classificados para o hexagonal final da qualificatória das Américas Central e do Norte, também devem apresentar novidades para o duelo, tanto que o técnico Jurgen Klinsmann chamou 10 jogadores com, no máximo, 10 partidas pela seleção.

Assim, nomes importantes da equipe comandada pelo alemão, como o goleiro Brad Guzan, os defensores Steve Cherundolo, Jonathan Spector e Oguchi Onyewu, o meia Clint Dempsey, e os atacantes Eddie Johnson e Landon Donovan, o maior artilheiro da história do ‘Team USA”, ficarão de fora do amistoso.

Prováveis escalações:

Rússia: Akinfeev; Yanbaev, Ignashevich, Vasili Berezutskiy e Yeschenko; Glushakov, Dzagoev, Denisov e Shirokov; Samedov e Kokorin. Técnico: Fabio Capello.

Estados Unidos: Howard; Bocanegra, Cameron, Edu e Johnson; Bradley, Diskerud, Jones, Kljestan; Gómez e Altidore. Técnico: Jurgen Klinsmann.

Árbitro: Nicola Rizzoli (Itália).

Estádio: Kuban, em Krasnodar (Rússia).