Rio – A paulista Elora Pattaro, no sabre, assegurou sua participação em Atenas ao se sagrar vice-campeã do Torneio Pré-Olímpico de Esgrima do Rio, que terminou ontem e reuniu um total de 12 países, na Escola de Educação Física do Exército, na Urca. Dois atletas brasileiros já haviam conquistado uma vaga, no domingo: Maria Júlia de Castro Herklotz, no florete, e Renzo Agresta, no sabre. Nos Jogos de Sydney, em 2000, o País contou com um representante.

Uma contusão no ombro, dificultando os movimentos do braço esquerdo, que usa para jogar, prejudicou o desempenho de Elora na final. Apesar das dores, o confronto contra a venezuelana Alejandra Benitez foi equilibrado e o placar final terminou por 15 a 13. Antes, a atleta brasileira superou facilmente a mexicana Ariana Aranda e a salvadorenha Cecília Garcia.

“A contusão realmente é forte, mas não vou usá-la como desculpa. Perdi porque foi um combate difícil e o nível dela (Alejandra) estava melhor hoje”, disse Elora. Agora, o objetivo da esgrimista até Atenas será o de aprimorar seu nível técnico e físico, além de treinar na Europa, provavelmente na Romênia, acompanhada pelos dois outros brasileiros classificados.

“Trazer uma medalha dos Jogos é muito difícil, acabei de fazer 18 anos e pratico esgrima há cinco. Uma atleta de alto nível tem pelo menos oito anos de esporte”, frisou Elora, apontando como favoritas em Atenas esgrimistas americanas, romenas, chinesas e francesas. “Tentarei ficar entre as 16 melhores. Ganhar pelo menos um ou dois combates.”

Marcos Cardoso, no florete, também tentou vaga em Atenas, mas terminou na terceira posição ao ser derrotado na semifinal pelo campeão do Pré-Olímpico, o venezuelano Carlos Rodriguez. Pela manhã foi inagurado na Escola do Exército o Centro de Excelência Olímpica para o desenvolvimento da modalidade.