Diante do temor de novos ataques terroristas na Europa, o ministro do Interior da Espanha, Jorge Fernandéz Díaz, revelou ao jornal espanhol AS que uma intensa operação de segurança está sendo preparada para o clássico entre Barcelona e Real Madrid, no sábado, no Santiago Bernabéu. No entanto, ele refuta a suspensão do confronto com o argumento de que “não há condições objetivas para a anulação”.

Nesta quarta-feira, às 15h30 (de Brasília), a Comissão Estatal contra a Violência, o Racismo, a Xenofobia e a Intolerância no Esporte fará uma reunião extraordinária para discutir as medidas de segurança para o jogo deste fim de semana. O encontro presidido pelo secretário do Estado de Segurança, Francisco Martínez, e pelo secretário de Estado para o Esporte, Miguel Cardenal, vai classificar o clássico espanhol como uma partida de alto risco.

O governo espanhol já adiantou que o duelo entre Barcelona e Real Madrid contará com muitos reforços de segurança e agentes que controlarão o acesso ao estádio, os arredores e os meios de transporte. O ministro do Interior diz entender “a psicose” e o medo que podem afligir os torcedores.

A principal novidade em comparação com outros jogos é o uso de um triplo anel de segurança antes de entrar no Santiago Bernabéu, em Madri. Além disso, as autoridades adotarão o protocolo de segurança antiterrorista nível 4 (são cinco níveis), decretado em junho. O número do efetivo que trabalhará no clássico fica em torno de 1.800 policiais. De acordo com o AS, os responsáveis pela operação garantem um estádio “blindado”.

Além disso, recomenda-se que o torcedor vá ao estádio sem mochila. O Barcelona também tem reforçado os controles internos de seus torcedores. Assim como o Real Madrid, que ampliará a segurança privada.

O clássico entre Real e Barça está marcado para começar às 15h15 (horário de Brasília) deste sábado e valerá pela 12ª rodada do Campeonato Espanhol. O time catalão lidera a competição com 27 pontos, três à frente da equipe merengue, vice-líder da tabela.