Valeu a pena esperar o final do domingo. O torcedor que foi ao Estádio do Pacaembu acompanhou o melhor jogo do fim de semana envolvendo as equipes grandes do Campeonato Paulista, e viu novamente o Santos dar show em campo e atropelar o Ituano por 9 a 1, na maior goleada do torneio. De quebra, o time de Dorival Júnior manteve a liderança e ficou muito perto da vaga nas semifinais.

Com o resultado, o Santos – dono do melhor saldo do campeonato, com 26 gols – chegou a 35 pontos e abriu dez de vantagem para a Portuguesa, quinta colocada, faltando quatro rodadas para o final da fase de classificação. O Ituano segue com 19 pontos, em 11.º na tabela.

Na próxima rodada, no meio desta semana, o Santos recebe o Botafogo, na Vila Belmiro, na quinta-feira, às 21 horas. Na véspera, às 19h30, o Ituano encara o São Caetano, no Estádio Dr. Novelli Júnior, em Itu.

SAULO – O goleiro do Ituano neste domingo começou sua carreira no Santos. E uma de suas poucas atuações pela equipe foi exatamente num 7 a 1, mas numa derrota para o rival Corinthians, também no Pacaembu, em 2005.

Desta vez, Saulo tomou oito dos nove gols – no último ele já havia sido expulso, após fazer pênalti em Maikon Leite – e teve culpa apenas no oitavo, quando não segurou o chute fraco de Zé Eduardo.

COMEÇO QUENTE – Não deu nem tempo do torcedor se ajeitar na cadeira. Logo no primeiro minuto de jogo, Juninho bateu falta de longe, João Leonardo interceptou no meio da área do Santos, fez o giro e bateu no canto de Felipe para fazer Ituano 1 a 0.

Perdendo, o Santos foi com tudo para cima e o empate foi apenas questão de tempo, em menos de 14 minutos, aliás. Paulo Henrique bateu falta na área, a zaga do Ituano parou pedindo irregularidade e André entrou livre para desviar de cabeça, no bico da pequena área, jogando no canto do ex-santista Saulo.

O empate não mudou a dinâmica do jogo e o Santos continuou sufocando o Ituano, que sequer conseguiu sair do seu campo de defesa.

MAIS CALOR – Na base do abafa, o Santos conseguiu em sequência, ficar com um jogador a mais e virar o marcador. Carlos Eduardo fez falta dura em Paulo Henrique na intermediária de ataque do Santos, tomou o segundo amarelo e foi expulso. Na cobrança, Madson levantou para o mesmo Paulo Henrique, que cabeceou sozinho para marcar.

A sinfonia santista no Pacaembu quase foi atrapalhada pelo solista Juninho, que recebeu na área pela esquerda, se livrou da marcação de Edu Dracena e bateu firme para defesa parcial de Felipe, que não evitou que a bola ainda explodisse no travessão.

Mas o susto serviu apenas para motivar ainda mais o Santos, que foi atrás de mais dois gols, ainda no primeiro tempo. O gol de André nem foi tão bonito, com o atacante recebendo livre na área e batendo firme na saída de Saulo. Mas o de Madson foi, com o meia recebendo na entrada da área, se livrando de dois marcadores e batendo no canto esquerdo do goleiro.

VIROU TREINO – Sem forçar o ritmo, o Santos chegou ao quinto gol, já no segundo tempo. Madson bateu falta pela esquerda e acertou a barreira. Na sobra, ele mesmo pegou bem, de primeira, e mandou uma bomba cruzada no canto, sem chance para Saulo.

O sexto gol saiu em uma jogada pela direita, com Wesley cruzando na área e Maikon Leite, que pegou de primeira, após desvio da zaga, em seu primeiro lance no jogo.

Parecendo não fazer nenhum esforço, o Santos chegou ao sétimo gol. Paulo Henrique recebeu belo passe na marca do pênalti, dominou, se livrou do marcador e bateu no canto direito do goleiro.

Até então sem nenhuma responsabilidade pelo placar, o goleiro Saulo falhou feio no oitavo gol, quando Zé Eduardo chutou fraco da entrada da área e o camisa 1 aceitou.

Já nos descontos, Saulo novamente foi protagonista. Maikon Leite recebeu sozinho na área, driblou o goleiro, mas acabou sendo derrubado na passagem. Pênalti e expulsão do camisa 1, que nem viu a cobrança e o gol de André, fechando o placar.

FELIPE X WESLEY – Em um time que joga bonito no ataque, não é normal o goleiro aparecer. Mas Felipe também deu seu show particular ao fazer duas defesas complicadas em sequência, a primeira na batida firme de Juninho e a segunda, no rebote, na batida de Rissutt, que ia no ângulo.

Destaque negativo, o lateral Wesley fez falta dura e conseguiu ser expulso nos descontos, com a goleada já plenamente consolidada.

Ficha técnica:

Santos 9 x 1 Ituano

Santos – Felipe; Wesley, Edu Dracena (Roberto Brum), Durval e Pará (Zé Eduardo); Rodrigo Mancha, Arouca (Maikon Leite), Marquinhos e Paulo Henrique; Madson e André. Técnico: Dorival Júnior.

Ituano – Saulo; Roque Júnior (Anderson Sales), Rodrigão, João Leonardo e Rissutt; Luis Eduardo, Sandro, Juninho Paulista e Carlos Eduardo; Marcel (Jean) e Welton (Lincoln). Técnico: Mazola Júnior.

Gols – João Leonardo, a um, André, aos 14 e aos 39, Paulo Henrique, aos 27, e Madson, aos 45 minutos do primeiro tempo; Madson, aos oito, Maikon Leite, aos 15, Paulo Henrique, aos 28, Zé Eduardo, aos 40, e André (de pênalti), aos 46 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos – Paulo Henrique (Santos); Marcel (Ituano).

Cartões vermelhos – Wesley (Santos); Saulo, Luis Eduardo e Carlos Eduardo (Ituano).

Árbitro – Robério Pereira Pires.

Renda – R$ 233.425,00.

Público – 10.015 pagantes.

Local – Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP).