O cenário para a estreia do Santos no Campeonato Brasileiro contra o Avaí, neste domingo, às 18h30, no estádio da Ressacada, em Florianópolis, não poderia ser mais favorável. A equipe está descansada porque os titulares foram poupados do jogo da última quarta-feira pela Copa do Brasil, o grupo ostenta o título paulista e recebeu parte dos direitos de imagem que estavam atrasados. Do outro lado, estará um rival abalado por ter conseguido escapar do rebaixamento no Campeonato Catarinense apenas na última rodada.

Assim, com tudo a favor, o técnico Marcelo Fernandes afirma que o time tem condições de impor seu jogo, mesmo atuando fora de casa. A escalação é a mesma da decisão do título paulista. Robinho treinou normalmente e está recuperado do edema na coxa esquerda, assim como Valencia (problema na panturrilha) e Werley. Ricardo Oliveira, artilheiro do Campeonato Paulista, está confirmado no ataque. “Temos condições de fazer nosso jogo, mesmo na casa do adversário. Vamos manter o que fizemos no Campeonato Paulista”, disse o treinador.

Embora tenha um ótimo retrospecto no Paulistão – chegou às últimas sete finais e venceu quatro delas – o time está devendo no Brasileirão. A melhor colocação da equipe nos últimos anos foi o vice-campeonato em 2007, quase 10 anos atrás. No ano passado, por exemplo, terminou em nono lugar. “Temos que fazer alguma coisa a mais no Brasileiro. O Campeonato Paulista ficou para trás. Não podemos nos acomodar com o título. Não podemos relaxar”, afirmou o zagueiro David Braz.

As pretensões do clube no torneio passam, em grande parte, pela permanência de Robinho. Na próxima semana, o presidente Modesto Roma Júnior viaja à Itália para tratar da contratação do atacante, que está emprestado pelo Milan até o fim de junho. Está disposto até a envolver os nomes de revelações do clube, como Gabriel e Gustavo Henrique, para garantir que o ídolo encerre a carreira na Vila. “A permanência de Robinho é imprescindível, mas nem temos esse tipo de papo. Ele está focado e a diretoria sabe o que precisa para mantê-lo no elenco”, disse o treinador.

A primeira rodada parece favorável para os santistas também quando olha para alguns adversários que devem usar escalações mistas por causa dos jogos na Copa Libertadores. “É difícil manter o foco em duas competições. Temos de aproveitar isso”, disse Renato.