A comissão técnica do Santos aproveitou a folga na tabela para aliviar o ritmo dos treinamentos do elenco. Pelo segundo dia consecutivo, os principais jogadores não foram ao campo do CT Rei Pelé, ganhando um descanso antes de o time iniciar uma maratona de partidas até o início da Copa do Mundo.

“Ajudado” pela eliminação nas semifinais do Campeonato Paulista, o Santos fez apenas quatro jogos em abril, sendo dois pela Copa Libertadores e outros dois pelo Campeonato Brasileiro, um cenário bem raro no calendário do futebol nacional.

A situação, porém, será bem diferente nas semanas que antecedem a Copa do Mundo na Rússia. Com a definição das datas dos compromissos entre Santos e Luverdense pelas oitavas de final da Copa do Brasil, que serão realizados em 10 e 17 de maio, o Santos já sabe que fará 13 jogos em um período de 44 dias.

Preocupado com a situação, o técnico Jair Ventura espera não ter jogadores lesionados no início dessa sequência de compromissos, na próxima terça-feira, quando o time vai visitar o uruguaio Nacional, em Montevidéu, com a intenção de selar a sua passagem às oitavas de final da Libertadores.

Na última terça, quando o time superou o Estudiantes por 2 a 0 na Vila Belmiro, Jair não pôde contar com o atacante Eduardo Sasha, lesionado. Além disso, não escalou Arthur Gomes desde o início também por causa de dores. O argentino Vecchio nem foi relacionado para o duelo por estar contundido, enquanto Léo Cittadini também deixou o jogo reclamando de incômodo.

Assim, a ordem nesses primeiros dias da preparação para o duelo com o Nacional foi mais de recuperar jogadores, deixando os treinos em segundo plano. Nesta sexta-feira, o elenco voltará a trabalhar no CT Rei Pelé a partir das 8h30.