A maior preocupação do técnico Emerson Leão nos últimos dias foi preparar seus jogadores para a pressão que sofrerão em Porto Alegre, hoje, no jogo contra o Grêmio. Com a vantagem de poder perder por até dois gols de diferença, o Santos sabe que os gaúchos usarão todas as armas que puderem para conseguir a vaga na final do campeonato brasileiro. “Pode ser uma partida complicada fora de campo, mas o importante é o que vai acontecer dentro do jogo”, afirmou Leão.

O treinador ainda não confirmou o time, mas tem todos os jogadores à disposição, incluindo Léo e Elano, que voltam de suspensão. O único problema é uma leve contusão no joelho esquerdo de Robinho, que foi poupado do treino desta terça-feira mas deverá jogar no Olímpico.

Leão faz questão de dizer que não vai administrar a boa vantagem que tem. “Para mim, perder já é o fim, quanto mais de 2 a 0”, avisou o treinador. Apesar disso, deve escalar seu time para segurar o ímpeto do adversário e aproveitar os espaços que serão abertos com a postura mais ofensiva do Grêmio. “Vamos jogar como sempre, com respeito e ofensivamente”, comentou. “O Grêmio ficou surpreso na Vila Belmiro e, a partir do que aconteceu, vai se preparar melhor, o que dificultará as coisas para nós”, previu Leão.

Sobre as ameaças recebidas pelos seus habilidosos jogadores por parte de gremistas, o treinador acha que foram fruto da momento do primeiro jogo, vencido por 3 a 0 pelo Santos. “Não creio que teremos problemas”, avaliou. Por isso, pretende escalar Robinho e pensa que o atacante nada deve temer. “Aquele que tem medo não pode jogar e o Robinho tem todo meu apoio para continuar jogando como sempre jogou”, completou.

Tranqüilidade

Para os jogadores do Santos, o fundamental é ter tranqüilidade na partida de hoje. “Revertemos a vantagem ao fazer o resultado na Vila Belmiro, mas ainda não conquistamos nada”, disse o meia Elano, que volta ao time no lugar de Robert. Já o lateral-esquerdo Léo, outro jogador que cumpriu suspensão automática e irá substituir Michel, entende que o Santos não pode mudar sua maneira de jogar. “Temos que atuar com alegria, marcando forte o adversário e atacando com rapidez”, afirmou. “Não podemos ficar lá atrás, deixando o Grêmio vir para cima com tudo. Temos que jogar da mesma forma que está dando certo, defendendo e atacando”, acrescentou.