Santos – Os santistas têm uma certeza: o Universidad do Chile vai disputar a partida de amanhã com o regulamento na mão. A maior vantagem é a de jogar pelo empate e, por isso, os jogadores do Santos esperam mais um adversário retrancado. Pior: é preciso muito cuidado para não sofrer gols, que terão peso maior para os chilenos na Vila Belmiro.

O jogo define o adversário do vencedor do confronto entre Atlético Paranaense e Cerro Porteñho, que jogam na quinta-feira, em Assunção. Um empate garante a vaga para o Furacão.

?Creio que o adversário vai jogar de forma defensiva, como todos os que jogam contra o Santos na Vila Belmiro e nosso time vai ser agressivo, intenso?, disse o técnico Gal-lo, que não vai poder contar com o goleiro Henao e com o lateral-direito Paulo César. Henao foi vetado pela luxação no quarto dedo da mão direita e o médico Carlos Braga considerou uma temeridade colocá-lo em campo com uma imobilização na área atingida. Além disso, o atleta reclama de dores no ombro.

Já o lateral-direito Paulo César passou por exames, foi constatado estiramento na coxa e deve ficar entre 10 e 15 dias afastado do elenco. Segundo Carlos Braga, foi uma lesão de pequena gravidade, mas que atingiu um músculo importante, ?o bíceps da coxa, que é muito ativo?.

Mauro continuará no gol santista até a recuperação de Henao.

Ontem, era para ter sido inscrito mais um atleta na Libertadores, mas até o final da tarde isso não havia sido feito. A tendência maior é a escolha do zagueiro Altair, já que o time perdeu Antônio Carlos e Domingos. Pode também escolher Wendel, que joga na lateral, como volante e na meia.

Cuidados

Para o jogo de quarta, o Santos terá o retorno dos volantes Fabinho e Bóvio, que foram poupados por Gallo no jogo de domingo contra o Atlético-MG. ?Sabemos que vai ser um jogo difícil, de paciência?, disse Fabinho. ?Não vamos procurar a classificação logo no início, pois a atenção tem que ser grande para evitar o gol do adversário, que vale mais nos jogos fora de casa, e impor seu ritmo para fazer os gols que nos classifiquem.?

O técnico disse ainda que a parte defensiva do Santos está melhorando. ?Não tomamos gol no domingo e é natural: a equipe entra em todos os jogos para não tomar e para fazer os gols.? Fabinho conhece o Universidad e sabe que é um adversário forte. ?Mas estamos preparados para isso e o importante é que o Santos não saia de seu ritmo.?

O que Fabinho sabe também é que o Santos precisa ter cuidado com o regulamento. ?O gol fora de casa vale muito e é o último jogo, é o que vai classificar um time. Cada jogador tem que dar o máximo porque não tem jogo de volta e temos de vencer de qualquer forma.?

França pode ser o substituto de Deivid

Santos – Enquanto a situação do centroavante Deivid continua indefinida, já que seu contrato termina no final de junho e o Bordeaux não pretende renovar seu empréstimo com o Santos, os dirigentes santistas tentam mais um reforço para a posição: França. O jogador está se desligando do Bayern Leverkusen e pretende continuar na Europa, mas se as negociações com o Atlético de Madri e o Celta de Vigo não derem certo, ele pode se transferir para a Vila Belmiro.

Os santistas estão preparados para uma provável dança de cadeiras. Vão segurar ao máximo Robinho, a estrela maior do time, mas outros jogadores podem se transferir ao futebol estrangeiro. Bóvio, cujo contrato vence no final do ano, admitiu ontem que recebeu proposta do futebol coreano, mas que o problema está sendo tratado por seu procurador. Léo tem cláusula contratual que permite sua saída sem multa no meio do ano e, valorizado pela convocação para a seleção, pode deixar o clube.

A expectativa maior é a chegada de Giovanni, ídolo do torcedor santista na década de 90 e que está deixando o futebol grego para voltar à Vila Belmiro. Seu contrato com o Olyampiakos vence esta semana e ele é esperado no começo do mês. O ex-meia, que agora é atacante, já tem seu contrato apalavrado com os dirigentes santistas e uma das duas vagas que ainda restam na Libertadores deve ficar com ele.