São Caetano do Sul – O São Caetano vai tentar levar adiante seu sonho de conquistar a Taça Libertadores da América, hoje, às 19h15, no Estádio Anacleto Campanella, contra o América do México. Mais do que dar o troco ou se vingar do time mexicano o time do ABC precisa vencer para ficar em situação confortável no jogo de volta, dia 11, válido pela segunda fase.

O principal desafio é bater no adversário que o superou duas vezes na primeira fase pelo Grupo 1, vencendo a equipe brasileira, por 2 a 1, tanto no Brasil como no México. Os jogadores não usam a palavra vingança, mas demonstram estar com o time mexicano “engasgado no pescoço”. “Nós temos que avaliar os erros que cometemos para não repetir agora”, diz o goleiro Silvio Luiz, que rompeu a barreira dos 320 jogos com a camisa do atual campeão paulista.

O técnico Muricy Ramalho também acha assim, tanto que apontou aos jogadores as falhas cometidas pelo time na marcação nos jogos anteriores. “O ponto forte deles é a jogada aérea. Pegam a bola e mandam para a grande área, então precisamos ter atenção e não vacilar”, aponta Muricy para o caminho a neutralizar. Mas para ultrapassar a marcação de duas linhas de quatro será preciso muito mais. “Temos que virar o jogo em velocidade, de uma lateral para outra, explorando bem as beiradas do campo. Se não funcionar, então a saída é a mesma deles: levantar a bola na área.”Tanto que no ataque estão confirmados Somália e Fabrício Carvalho.

O time, porém, continua sem tempo para treinar devido à seqüência de jogos. Os jogadores participaram nesta tarde, de um rápido treino tático, quando o time ficou praticamente definido. A novidade será a volta de Dininho, recuperado de uma tendinite no joelho esquerdo. Ele volta no lugar de Gustavo, que atuou nos últimos dois jogos pelo Campeonato Brasileiro, nos empates, por 1 a 1, contra Guarani e Flamengo.

São Caetano

– Silvio Luiz; Anderson Lima, Dininho, Serginho e Triguinho; Marcelo Mattos, Mineiro, Fábio Santos e Gilberto; Somália e Fabrício Carvalho. Técnico: Muricy Ramalho.
América – Guillermo Ochoa; Pablo Rotchen, Duilio Davino, Ricardo Rojas e Jesús Mendoza; Alvaro Ortiz, Germán Villa, Pável Pardo e Franky Oviedo; Cuauhtémoc Blanco e Reinaldo Navia. Técnico: Néstor de la Torre.
Arbitro: Jorge Larrionda (Uruguay).