O São Caetano deixou escapar a vitória contra o Fluminense ao empatar por 2 a 2 nesta sexta-feira à noite. É que o time do ABC saiu na frente, com dois gols de Somália, mas com um homem a menos permitiu a reação do adversário e o empate acabou sendo justo. Agora, o time paulista soma 41 pontos, ficando em 13.º lugar, enquanto o carioca, em quarto lugar, tem 55 pontos.

Esta foi a 13.ª vez que as equipes se enfrentaram, com ampla vantagem do time da casa – sete vitórias, quatro empates e duas derrotas. Em casa, o São Caetano nunca perdeu este confronto, com cinco vitórias e dois empates.

Desta vez, com o arrojado esquema de três atacantes, o time do ABC começou o jogo com muita movimentação no ataque. Quase foi surpreendido por duas cobranças de falta de Petkovic, mas abriu o placar aos 16 minutos numa rápida troca de passes do ataque. De Thiago, no lado esquerdo, para Edilson, no centro, e depois para Somália, na pequena área, que com um jogo de corpo esperou a queda do goleiro Kléber e tocou no alto. Aos 27 minutos, Canindé, pelo lado direito, levantou para a área, onde Somália ganhou a dividida com o zagueiro e desviou de cabeça: 2 a 0.

No intervalo, o artilheiro do São Caetano dizia ter cumprido sua obrigação ao mostrar frieza no primeiro gol e oportunismo no segundo: "Tive calma no lance e depois subiu bem mas agora precisamos segurar o resultado", comentou. Na verdade, porque aos 28 minutos o ala-direito Ricardo Lopes foi expulso ao dar um carrinho – ele já tinha recebido amarelo. Na cobrança de falta, como que por castigo, o Fluminense diminuiu. Petkovic, sempre ele, levantou na área e Marcão desviou de cabeça, aos 29 minutos. Os últimos minutos foram de sufoco para o time da casa, mesmo com a saída do atacante Jean para a entrada de Pingo com objetivo de recompor a marcação.

Ainda no intervalo, o São Caetano perdeu o zagueiro Thiago machucado, sendo substituído por Gustavo, além de colocar Triguinho na ala-esquerda na vaga do improvisado Canindé, certamente para ganhar força na marcação. Para aproveitar a vantagem numérica, Abel Braga, passou a jogar com três atacantes com a entrada de Adriano Magrão na vaga do meio campista Fernando.

Sem Gabriel, o lateral artilheiro (tem 16 gols), que pediu para não jogar por se sentir cansado, o Fluminense ficou na dependência da armação de jogadas com Petkovic, que cobrava faltas e escanteios, além da esperança de que Tuta aproveitasse uma bobeada dos zagueiros. Parecia muito pouco. Nem a entrada de Rodrigo Tiuí com a ordem de "pôr fogo no jogo" adiantou. Mas o empate saiu aos 29 minutos, quando Arouca entrou tabelando na área e chutou cruzado. Uma forte chuva passou a cair em seguida e os times preferiram não se arriscar mais.

O São Caetano enfrentará o Paraná, em Curitiba, na quinta-feira, enquanto o Fluminense, joga na segunda-feira contra o Brasiliense, em Volta Redonda (RJ).

FICHA TÉCNICA

SÃO CAETANO 2 X 2 FLUMINENSE

GOLS – Somália aos 16 e aos 27 e Marcão aos 29 minutos do primeiro tempo; Arouca aos 29 minutos do segundo tempo.

SÃO CAETANO – Sílvio Luís; Douglas, Thiago (Gustavo) e Neto; Ricardo Lopes, Zé Luís, Júlio César e Canindé (Triguinho); Somália, Jean (Pingo) e Edílson. Técnico: Jair Picerni.

FLUMINENSE – Kléber; Schneider, Zé Carlos, Igor e Juan (Maicon); Marcão, Arouca, Fernando (Adriano Magrão) e Petkovic; Lenny (Rodrigo Tiuí) e Tuta. Técnico: Abel Braga.

JUIZ – Paulo Henrique de Godoy (SC).

CARTÃO AMARELO – Ricardo Lopes, Gustavo, Marcão, Petkovic e Maicon.

CARTÃO VERMELHO – Ricardo Lopes.

RENDA – R$ 12.710,00.

PÚBLICO – 1.797 pagantes.

LOCAL – Estádio Anacleto Campanella, em São Caetano do Sul (SP).