Nove rodadas depois o São Paulo está de volta ao G4 do Campeonato Brasileiro. A equipe deixou no passado os problemas defensivos, a falta de pontaria e o baixo aproveitamento fora de casa para construir uma vitória tranquila por 2 a 0 sobre o Figueirense, no Orlando Scarpelli, na noite desta quarta-feira.

O salto de cinco posições na tabela leva o São Paulo para a terceira colocação, agora com 31 pontos. A combinação de resultados da rodada propiciou a escalada e foi uma espécie de prêmio atrasado para as boas atuações recentes.

Se contra Atlético-MG e Corinthians o time exagerou nas chances perdidas e acabou punido por vacilos defensivos, em Florianópolis valeu a eficiência aliada ao domínio do jogo para garantir a vitória.

É bem verdade que o Figueirense é bem mais frágil que os dois adversários alvinegros anteriores. A equipe, que segue com 20 pontos, está na beira da zona de rebaixamento e exemplificou o desnível existente entre os blocos da tabela de classificação.

Apesar desse contraponto, o resultado é de suma importância para encaminhar o time do Morumbi a terminar em alta o primeiro turno. Na rodada final, recebe o Goiás, que luta contra o rebaixamento.

O JOGO – Juan Carlos Osorio armou o São Paulo em Florianópolis no 4-4-2 em vez do sistema com três defensores. A surpresa foi a escalação do lateral Auro para a vaga do meia Michel Bastos, poupado. A opção se mostrou útil para dar força pelo lado direito, onde além do jogador, Thiago Mendes fechava os espaços e fazia ultrapassagens para avançar até a linha de fundo.

A formação deixou a equipe mais compacta e a defesa menos exposta. O primeiro chute que exigiu trabalho de Rogério Ceni foi só no segundo tempo.

A equipe teve o controle das ações e passou longe de ser pressionada. A recompensa pela atuação rendeu um gol logo aos 13 minutos. O São Paulo virou o jogo até o lado esquerdo e Ganso deu belo passe para Pato chutar rasteiro, de primeira.

Logo depois o time viveu um momento parecido ao do último domingo, no clássico com o Corinthians. Titular pela primeira vez, Breno chutou e a bola bateu no braço de Marcão. Dessa vez o árbitro marcou pênalti e o goleiro Rogério Ceni converteu para marcar pela 130ª vez na carreira.

A desvantagem levou o Figueirense a mexer ainda no primeiro tempo, ao colocar o veterano meia Carlos Alberto, mas nada que resultasse em grande mudança. O limitado time jogava com pouca presença da torcida e passou a levar mais perigo quando ficou com um jogador a mais em campo.

O zagueiro Luiz Eduardo deu uma entrada dura e levou o cartão vermelho direto aos 32 minutos do segundo tempo. Como o São Paulo já havia feito as três substituições, o Figueirense se jogou ao ataque e assustou em bolas aéreas.

O São Paulo administrou o ritmo no segundo tempo e Osorio optou por mudar bastante a formação tática, com alterações inusitadas. O lateral Carlinhos virou ponta ao entrar na vaga de Luis Fabiano, Reinaldo atuou improvisado na zaga depois da expulsão. E, antes lateral, Thiago Mendes terminou como volante, sua posição de origem.

A protocolar etapa final fez o São Paulo terminar a partida confiante, como se estivesse no ponto alto do sobe e desce que vive na competição. O desafio será manter o equilíbrio para acabar com a irregularidade que tanto afeta a equipe e a impede de buscar objetivos mais altos no Brasileiro.

FICHA TÉCNICA:

FIGUEIRENSE 0 x 2 SÃO PAULO

FIGUEIRENSE – Alex; Leandro Silva, Marquinhos (Bruno Alves), Thiago Heleno e Marquinhos Pedroso (Sueliton); Paulo Roberto, Fabinho (Carlos Alberto), João Vitor e Rafael Bastos; Clayton e Marcão. Técnico: Argel Fucks.

SÃO PAULO – Rogério Ceni; Thiago Mendes, Rafael Toloi, Luiz Eduardo e Reinaldo; Breno (Bruno), Wesley (Hudson), Auro e Ganso; Luis Fabiano (Carlinhos) e Alexandre Pato. Técnico: Juan Carlos Osorio.

GOLS – Pato, aos 14, e Rogério Ceni, aos 26 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS – Wesley, Luis Fabiano, Marquinhos, Breno, Clayton, Hudson, Bruno Alves.

CARTÃO VERMELHO – Luiz Eduardo.

ÁRBITRO – Anderson Daronco (RS).

RENDA – R$ 230.980,00.

PÚBLICO – 10.301 pagantes.

LOCAL – Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis (SC).