O São Paulo perdeu o 100% de aproveitamento no Morumbi no Campeonato Paulista, ao empatar sem gols com a Portuguesa, na noite deste sábado, pela 8ª rodada. Pouco inspirado no ataque e sofrendo com a retranca rival, o time de Muricy Ramalho não conseguiu aproveitar a vantagem de jogar diante de sua torcida, como vinha fazendo desde o início da competição.

Com o empate, o São Paulo chegou aos 13 pontos, mas abriu a possibilidade de ser superado no topo do Grupo A. A primeira colocação poderá ser perdida para o Penapolense, que encara o Santos, equipe com melhor aproveitamento no Paulistão até agora, neste domingo. Se vencer, o time de Penápolis alcançará os 15 pontos e deixará a equipe da capital para trás.

A Portuguesa, por sua vez, chegou ao terceiro jogo sem derrota, desde a chegada do técnico Argel Fucks. O time soma agora oito pontos, na quarta colocação do Grupo C, ainda com esperança de chegar às primeiras colocações para poder avançar à próxima fase do Estadual.

O JOGO – Com a confiança de jogar em casa, o São Paulo, que estreava o zagueiro Roger Carvalho, fez um bom primeiro tempo nesta noite, mas teve dificuldade para dominar o rival. Foi o responsável pelas principais jogadas ofensivas da etapa, porém, a tentativa de controle esbarrava nas perigosas investidas da Lusa no ataque.

A alternância nos dois ataques foi a tônica do primeiro tempo, que começou com cabeçada perigosa de Ganso dentro da pequena área, aos 10. Tom fez a defesa. A resposta dos visitantes veio quatro minutos depois, em finalização de Wanderson da entrada da área. Rogério Ceni desviou. Na sequência, em escanteio, cabeçada forte para fora.

A postura mais ousada da Portuguesa era compensada pelos chutes de Pabon. Foram aos menos três boas tentativas antes do intervalo. Na mais perigosa, a bola desviou no “montinho artilheiro” e quase surpreendeu Tom.

As finalizações de Pabon eram a maior aposta são-paulina por causa da forte retranca da Lusa. Mais compacta, a equipe de fora se segurava na defesa e arriscava na correria, intermediária a dentro. Aos 29, o time do Canindé mandou para as redes em cabeçada de Willian Magrão. A arbitragem, no entanto, anulou o lance de forma equivocada – Magrão estava na mesma linha dos defensores.

A reação do São Paulo era mais limitada, por causa da lentidão nos ataques. A Lusa se recompunha com rapidez e cedia pouco espaço na defesa. Luis Fabiano, bem marcado, parava com facilidade nos zagueiros. Ademilson tinha participação discreta nos lances ofensivos.

Na volta do intervalo, o atacante protagonizou lance polêmico. Ao driblar o marcador, foi derrubado na área. O árbitro, porém, não marcou o pênalti. Ademilson logo foi substituído por Osvaldo, que também deixou a desejar.

Como aconteceu no primeiro tempo, o São Paulo dominava a posse de bola e até cercava a área da Lusa. Entretanto, tinha reduzido poder de fogo. Em uma das poucas chances de gol na etapa, Pabon aproveitou contra-ataque, entrou na área e bateu rasteiro, tirando tinta do pé da trave direita de Rogério.

A investida são-paulina aconteceu logo depois que Régis acertou o travessão de Rogério Ceni. Mesmo exibindo postura mais passiva, a Lusa criava jogadas mais incisivas, também sem sucesso. Somente nos minutos finais sofreu mais com a pressão do São Paulo. Mas se segurou bem e garantiu um ponto fora de casa.

Na próxima rodada, o São Paulo visitará o São Bernardo, na quinta-feira. A Portuguesa vai entrar em campo na quarta para enfrentar o Penapolense, também fora de casa.

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 0 x 0 PORTUGUESA

SÃO PAULO – Rogério Ceni; Luis Ricardo, Roger Carvalho, Antonio Carlos e Reinaldo; Wellington (Denilson), Souza e Paulo Henrique Ganso; Pabon, Ademilson (Osvaldo) e Luis Fabiano. Técnico: Muricy Ramalho.

PORTUGUESA – Tom; Régis, Diego Augusto, Willian Magrão e Bryan; Renan, Rudnei, Rondineli (Dejair) e Wanderson (Gabriel); Henrique (Caio) e Leandro. Técnico: Argel Fucks.

CARTÕES AMARELOS – Wellington, Renan, Tom, Diego Augusto.

ÁRBITRO – Flávio Rodrigues Viana.

RENDA – R$ 246.405,00.

PÚBLICO – 9.754 pagantes.

LOCAL – Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP).