O técnico Dorival Junior já enfrentou o Coritiba neste Campeonato Brasileiro quando dirigia o Santos. Venceu por 1 a 0, mas tomou sufoco dentro da Vila Belmiro. A partir desta experiência, espera um jogo duro para o São Paulo nesta quinta-feira, às 19h30, no estádio do Morumbi, na capital paulista, pela 18.ª rodada. “Já enfrentei o Coritiba no início do campeonato. É um time muito difícil de enfrentar. Ele também busca um equilíbrio na competição”, comentou.

Pelos treinamentos que fez ao longo da semana, o São Paulo espera uma retranca. Acreditando em marcação pesada no meio de campo, Dorival Junior colocou até os zagueiros Arboleda e Rodrigo Caio para armarem o jogo, sempre pelas laterais. Outra saída são as triangulações, inspiradas por Hernanes e Cueva. Fiel ao discurso de manter a escalação para garantir o entrosamento, o técnico vai manter a formação das últimas partidas do time.

Com isso, o meia Marcinho, que teve atuação regular na vitória sobre o Botafogo, será mantido. No início da semana, o treinador indicou que Marcos Guilherme, autor de dois gols no último sábado, tinha possibilidade de ser escalado como titular. Mas o reforço que chegou do futebol croata ainda não está em plenas condições físicas. O atacante Brenner, revelação do sub-20 e que está ganhando chances no time profissional, foi convocado para o jogo.

No treino desta quarta-feira, Dorival Junior ensaiou jogadas de bola parada ofensivas e defensivas. Pelo lado direito, a cobrança de escanteio ficou sempre com Marcinho. Além de cruzamentos na área, também foram treinadas jogadas ensaiadas.

Depois de três jogos sem perder, o São Paulo busca se distanciar da zona de rebaixamento diante de um rival direto – ambos somam 19 pontos, com o clube paulista fora da zona de descenso pelos critérios de desempate.

“Amanhã (quinta-feira) é jogo de seis pontos. Sabemos que enfrentar adversário que está na zona de rebaixamento é difícil. Eles jogarão fechadinho e buscarão o contra-ataque. É ter atenção defensivamente e, quando tiver a chance na frente, matar o jogo”, disse o volante Jucilei.