Campinas – A torcida do São Paulo está em festa. Depois de dez anos, o time volta à Copa Libertadores da América. O passaporte para a competição foi conseguido ontem, após vitória por 2 a 1 sobre a Ponte Preta, de virada, em Campinas. “Libertadores, Libertadores”, gritavam os torcedores que foram ao Moisés Lucarelli após o segundo gol, evidenciando a obsessão dos são-paulinos pelo torneio, do qual participaram pela última vez em 1994.

O São Paulo, na terceira posição, chegou a 77 pontos e, na pior das hipóteses, terminará o Campeonato Brasileiro entre os quatro melhores os cinco primeiros garantem vaga. “Esse grupo foi longe demais por suas limitações. Quem sabe o sonho (do título da Libertadores) vire realidade”, afirmou o goleiro Rogério Ceni, que vestiu a camisa do São Paulo pela 500.ª vez diante da Ponte.

Apesar da conquista do objetivo, o time precisará de reforços para sonhar com bom resultado em 2004. O elenco, como disse Rogério, é limitado. O próprio jogo deste domingo mostrou isso. Foi de baixíssimo nível técnico e chegou a dar sono em alguns momentos. Os campineiros colaboraram bastante com o triunfo tricolor. E estão cada vez mais ameaçados pelo rebaixamento. Com a vitória de Grêmio, Bahia e Fortaleza, a Ponte caiu para a última colocação do Brasileiro, com 46 pontos.

Ficha Técnica

Gols: Luiz Carlos aos 3, Gabriel aos 13 e Souza aos 29 minutos do segundo tempo. Ponte Preta: Lauro; Gerson, Luiz Carlos e Alan; Carlos Alexandre, Ângelo, Romeu, Adrianinho (Vaguinho) e Ronildo (Rafael Ueta); Jean e Lucas (Gigena). Técnico: Abel Braga. São Paulo: Rogério Ceni; Gabriel, Lugano, Edcarlos e Fábio Santos; Adriano, Carlos Alberto (Rico), Fábio Simplício, Souza (Júlio Santos) e Gustavo Nery; Diego Tardell (Fabiano). Técnico: Roberto Rojas. Árbitro: Paulo César de Oliveira (SP). Cartão amarelo: Gerson, Gabriel, Edcarlos, Júlio Santos. Local: Moisés Lucarelli (Campinas).