Já nos acréscimos, o São Paulo garantiu neste domingo a sua sexta vitória consecutiva no Campeonato Brasileiro e, de quebra, terminou a 19.ª rodada no grupo dos quatro melhores da competição.

O time bateu o Sport por 2 a 1, no Recife, depois de abrir o placar, sofrer o empate, e aos 47 minutos do segundo tempo emplacar o triunfo com um gol de Hugo.

Para entrar na zona de classificação à Copa Libertadores, o São Paulo fez a sua parte e foi beneficiado, é verdade, pela derrota do Atlético-MG para o Corinthians, por 2 a 0. Agora, o atual tricampeão brasileiro soma 33 pontos, quatro a menos que o líder Palmeiras. O Sport segue na lanterna da competição, com apenas 13 pontos conquistados.

Com um gol ainda no primeiro tempo, o São Paulo parecia tomar conta da partida. A movimentação e o toque de bola envolvente davam a cara deste novo time, dirigido pelo técnico Ricardo Gomes. Mas no segundo tempo, a equipe provou da pressão dos pernambucanos e, em um vacilo da zaga, acabou cedendo o empate. Mesmo assim, teve força para reagir e encontrar a vitória.

Já sem a “guerra de vaidades” que tomou conta do ataque são-paulino nas últimas rodadas, Washington e Borges demonstraram dentro de campo que selaram, de vez, a paz. Logo na primeira oportunidade, os dois trocaram passes com o peito, até que a bola sobrou para Hernanes chutar em cima do goleiro Magrão.

Não demorou muito e o gol do São Paulo saiu. E novamente com uma jogada do trio mais ofensivo do time. Aos 24 minutos, Hernanes deu um lindo passe para Borges que, dentro da área, tocou de cabeça para Washington marcar. Na comemoração, o centroavante fez questão de cumprimentar o companheiro de equipe.

Ainda antes do início da partida, Washington desconversou sobre as brigas anteriores e chegou a prometer um gol. Para ele, faltava apenas alguém para criar as jogadas. “Borges e eu somos dois grandes jogadores. Pintando as oportunidades, vai ter gente para fazer”, previu.

Pelo lado do Sport, o abatimento era visível. De nada adiantava os R$ 100 mil prometidos pela diretoria aos jogadores, caso eles conquistassem nove pontos em cinco rodadas. “Não dá. Não dá para continuar assim. Temos que melhorar muito para o segundo tempo”, disse o atacante Ciro, uma das principais armas dos pernambucanos.

E para o segundo tempo, os donos da casa atenderam aos pedidos de Ciro e melhoraram. Com o apoio incondicional da sua torcida, os pernambucanos armaram uma pressão para o time do São Paulo, ainda mais depois das expulsões dos zagueiros Miranda e Renato Silva.

Dutra e Luciano Henrique criavam as jogadas, mas não conseguiam encontrar os atacantes, ainda mais depois da expulsão de Wilson. Até que aos 39 minutos, em uma desatenção da defesa, Fabiano, ex-São Paulo, tocou de cabeça para o fundo das redes.

O São Paulo não se abateu com o gol de empate dos adversários e, em uma incrível arrancada de Júnior César pela direita, o lateral cruzou na cabeça de Hugo, que só teve o trabalho de tirar do goleiro Magrão.

ESTREIA CONTIDA – Se o primeiro jogo pelo São Paulo não foi um primor de atuação, ao menos convenceu. Ainda sem ritmo, o argentino Adrián González criou chances pela lateral direita, fechou os espaços no meio-campo, mas sentiu a falta de jogo e aos 15 minutos do segundo tempo deu lugar ao volante Zé Luís.

RETORNO ESPERADO – Bastante exigido durante o jogo, o goleiro Denis deve voltar para o banco de reservas. O capitão Rogério Ceni está praticamente recuperado de uma fratura no tornozelo esquerdo e é aguardado para a partida contra o Fluminense, quarta-feira, no Morumbi. Nesta temporada, Denis atuou por 16 vezes seguidas, recorde entre os substitutos de Rogério.

Ficha Técnica:

Sport 1 x 2 São Paulo

Sport – Magrão; Igor (Lincoln), César e Durval; Moacir, Andrade, Fumagalli (Luciano Henrique), Juliano (Fabiano) e Dutra; Wilson e Ciro. Técnico: Péricles Chamusca.

São Paulo – Denis; Renato Silva, André Dias e Miranda; Adrián Gonzalez (Zé Luís), Richarlyson, Hernanes, Jorge Wagner e Júnior César; Washington (Wellington) e Borges (Hugo). Técnico: Ricardo Gomes.

Gols – Washington, aos 24 minutos do primeiro tempo; Fabiano, aos 39, e Hugo, aos 47 minutos do segundo tempo.

Árbitro – Sandro Ricci (DF).

Cartões amarelos – Adrián González (São Paulo).

Cartões vermelhos – Wilson (Sport); Miranda e Renato Silva (São Paulo).

Renda e Público – Não disponíveis.

Local – Estádio Ilha do Retiro, no Recife (PE).