A agonia do São Paulo em busca de um atacante de velocidade está bem perto do fim. Em nova disputa com o Palmeiras, o time tricolor virou o jogo na noite desta quarta-feira e praticamente fechou a contratação do atacante Jonathan Cafu – falta apenas a assinatura do jogador, que é da Ponte Preta. Ele vem para atuar pelos lados do campo e preencher a lacuna que deve ser criada com a provável saída de Osvaldo para o futebol árabe.

Se não pode ser considerada uma novela como o caso Dudu, a contratação teve enredo de minissérie; curta, mas cheia de idas e vindas. Após a revelação de conversas entre São Paulo e jogador, o empresário Luiz Carvalho disse que Cafu estava “90% no Palmeiras” e deixou o vice de futebol Ataíde Gil Guerreiro bastante irritado.

Isso porque o São Paulo havia costurado o acordo desde a semana passada e já havia redigido os contratos com todas as cláusulas acertadas entre as partes. Mas os dirigentes passaram a enxergar um “leilão” do empresário e deram um ultimato a Luiz Carvalho para se decidir. Como a proposta tricolor era melhor e o elenco do Palmeiras tem muitos atacantes, o empresário resolveu bater o martelo com o clube do Morumbi.

Cafu foi um pedido do técnico Muricy Ramalho para dar mais velocidade ao time e para ele ter uma opção de mudar a forma de jogar. Se Osvaldo sair, Ademilson será o único atacante que consegue jogar pelos lados do campo. O São Paulo procurou a Ponte Preta assim que Dudu acertou com o Palmeiras.