O Mundial de Vela começa nesta sexta-feira em Santander (Espanha) e mais uma vez o Brasil deposita em Robert Scheidt a esperança de conquistar um título. Afinal, só na classe Laser o veterano de 41 anos já foi campeão mundial 10 vezes. Em novembro passado, Scheidt venceu o Mundial de Laser, no Omã, na sua volta à classe. Desta vez, porém, ele garante que não chega como franco favorito.

“A experiência de vencer o Mundial onze vezes é muito positiva para mim. Mas acho que esta será a primeira vez que não chego à competição como franco favorito. No retrospecto desta temporada, o (australiano) Tom Burton é o que está mais próximo do pódio. Ele venceu alguns dos principais eventos do ano, vem velejando muito bem”, aponta Scheidt, que coloca na própria conta um título mundial nas categorias de base da vela.

Burton é apenas o 10.º do ranking mundial, mas é quem melhor vem velejando de Laser neste ano. Desde o Mundial do Omã, venceu as Copas do Mundo de Hyères (França), Palma de Maiorca (Espanha) e Melbourne (Austrália), além do evento-teste da vela em Copacabana, em agosto.

Outro que chega com boas chances de medalha é o croata Tonci Stipanovic, que lidera o ranking mundial, foi campeão na Copa do Mundo de Miami (EUA) e vice europeu casa, em junho. “O Tonci Stipanovic, o britânico Nick Thompson e o holandês, o Rutger Van Schaardenburg, também estão muito rápidos”, aponta Scheidt.

VALE VAGA OLÍMPICA – Os Mundiais da vela são divididos entre os de classe (bianuais) e o da ISAF (Federação Internacional de Vela), quadrienal. Em Santander, serão disputadas todas as 10 classes olímpicas, valendo vaga já para os Jogos do Rio/2016. O Brasil, com dono da casa na Olimpíada, tem classificação assegurada em todas as classes.

Apesar de o Mundial já ter sido formalmente aberto, a competição em Santander começa nesta sexta-feira, com a disputa das classes Laser e Laser Radial. A disputa terá 10 regatas, com descarte do pior resultado. A medal race está prevista para acontecer na quinta-feira da semana que vem.

Tanto na Laser quanto na Laser Radial o Brasil terá três barcos. Entre os homens, além de Scheidt, competem Bruno Fontes e o estreante Alex Veeren. No feminino, a disputa terá Fernanda Decnop, Tina Boabadi e Odile Ginaid. As três competem entre si pela vaga olímpica brasileira em 2016.