Campeões da classe Star no Torneio Princesa Sofia, em Palma de Maiorca, na última semana, Robert Scheidt e Bruno Prada aproveitaram a competição na Espanha para tomarem a decisão final quanto à embarcação que usarão nos Jogos Olímpicos. E venceu o veleiro norte-americano Pstar, com o qual conquistaram o título mundial em dezembro do ano passado, em Perth, na Austrália.

Em Maiorca, os brasileiros usaram o Follia, de design italiano. Apesar do título, Scheidt e Prada não gostaram da novidade. “Com o barco italiano, estávamos menos velozes que os cinco primeiros colocados”, explicou Bruno Prada, nesta quinta-feira, em entrevista coletiva de apresentação de um novo patrocinador para a dupla.

“Vencemos nas últimas regatas, uma competição que estava praticamente perdida, apesar de a gente nunca desistir. A vitória lá nos deu muita moral,” ressaltou o companheiro de Robert Scheidt.

A opinião é compartilhada pelo bicampeão olímpico. “Velejamos com um barco novo, italiano, que estávamos testando, e sofremos muito. Mas no final o vento ajudou e conseguimos vencer. Também tivemos uma pitadinha de sorte, porque os neozelandeses (que lideravam) foram desclassificados no final. Mas nós nos colocamos na posição de poder contar com a sorte”, avaliou Scheidt.

A dupla, que já tinha três patrocinadores, ganhou mais um nesta quinta-feira. Agora eles recebem o apoio da Gocil, empresa do ramo de segurança. “A parceria será de longa data, não vinculada apenas a Londres, mas a outras competições também. Eles terão um bônus de R$ 100 mil se ganharem uma medalha”, afirmou Washington Cinel, presidente do Grupo Gocil.