Indianápolis – Pela oitava vez em nove provas, o alemão Michael Schumacher subiu ao lugar mais alto do pódio. O piloto da Ferrari venceu o GP dos Estados Unidos ontem, em Indianápolis, e segue firme rumo ao heptacampeonato mundial. Seu companheiro de equipe, o brasileiro Rubens Barrichello, terminou em segundo. O terceiro foi o japonês Takuma Sato, da BAR.

Os outros pilotos que pontuaram foram o italiano Jarno Trulli, da Renault, o francês Olivier Panis, da Toyota, o finlandês Kimi Raikkonen e o escocês David Coulthard, ambos da McLaren e o húngaro Szolt Baumgartner, da Minardi.

A prova foi marcada pelo forte acidente de Ralf Schumacher, da Williams. O alemão bateu na décima volta com a parte traseira de seu carro e precisou ser levado ao hospital, pois reclamou de fortes dores nas costas.

Com o resultado, Schumacher foi aos 80 pontos e abriu 18 de vangatem em relação a Barrichello, segundo colocado. O inglês Jenson Button, da BAR, não terminou a prova mas continua em terceiro, com 44. O quarto é o italiano Jarno Trulli, da Renault, com 41.

Faltam nove corridas para o término da temporada. A próxima prova será o GP da França, dia 4 de julho, no circuito de Magny-Cours.

Confusão

Na hora em que os pilotos estavam prontos para a volta de apresentação, já ocorreu uma cena inusitada. Juan Pablo Montoya teve problemas em sua Williams e foi correndo para pegar o carro reserva. Porém, o monoposto guardado não estava pronto, e o colombiano perdeu muito tempo para largar dos boxes.

Após a largada, houve a primeira batida. Da Matta freou e Christian Klien, da Jaguar, acertou a traseira do piloto da Toyota, que foi para os boxes e voltou em seguida. Já o austríaco acabou atingindo Felipe Massa e os dois abandoraram a prova. Mais tarde, Da Matta também sairia da disputa.

Por quatro voltas, o safety car ficou na pista e, quando saiu, Michael Schumacher fez uma bela ultrapassagem sobre Barrichello, assumindo a primeira posição. Mas em seguida aconteceram mais duas batidas fortes: Fernando Alonso, na oitava volta e Ralf Schumacher, na décima.

O choque de Ralf foi sério e o safety car entrou novamente, já que o alemão precisou de atendimento médico na pista. Após seu carro rodar e bater no muro com a parte traseira, na décima volta, o alemão permaneceu no cockpit. Minutos depois, foi retirado e deixou a pista de ambulância, sendo levado ao hospital. Depois de oito voltas, a corrida foi reiniciada.

Após o primeiro pit stop do pelotão de frente, Raikkonen apareceu em segundo, mas logo perdeu a posição para Barrichello, pois teve de voltar aos boxes. Na seqüência, Rubinho assumiu a ponta quando Schumacher fez a sua segunda parada.

Com pista livre, o brasileiro chegou a abrir 22s6 de vantagem até fazer o segundo pit stop. Mas a diferença não foi suficiente e Barrichello voltou em segundo lugar, colado no alemão. Faltando 23 voltas, os dois travaram um bonito duelo até o fim, com Rubinho ameaçando em diversos pontos.

Enquanto isso, Montoya recebeu bandeira preta, sendo eliminado por causa de uma irregularidade na sua largada dos boxes. Jarno Trulli se aproveitou e pulou para a terceira posição, mas foi parar na grama e Takuma Sato assumiu o posto. A nove voltas do fim, restou a Schumacher segurar a liderança e Barrichello parou de ameaçar, chegando em segundo pela sexta vez no ano.