O diretor de planejamento do Palmeiras, Luiz Gonzaga Belluzzo, garantiu que o rombo nas finanças do clube não passa de R$ 17 milhões. Mas até alguns de seus aliados afirmam que o valor é de R$ 22 milhões. A oposição chuta um valor ainda mais alto: R$ 42 milhões.

Segundo Belluzzo, essa discrepância dos números é gerada pelas diferentes formas de se interpretar um fluxo de caixa. Com o dinheiro que espera arrecadar até o fim do ano, a dívida ficaria em R$ 17 milhões, de acordo com o dirigente.

Belluzzo se diz esperançoso com os programas para captação de recursos que estão sendo lançados pela diretoria palmeirense, como a Cesta de Atletas e a venda de títulos remidos. Batizada de "Sociedade dos Eternos Palestrinos", o projeto visa arrecadar até R$ 9 milhões, vendendo 1.200 títulos a sócios que nunca mais pagariam mensalidade para freqüentar o clube. Valor dos títulos: R$ 8.500,00 (individual) e R$ 9.900,00 (família).