Depois de uma série de amistosos ruins antes do Mundial os brasileiros conheciam bem os alemães. Com duas derrotas em três jogos, os comandados de Bernardinho estudaram muito nos últimos dois dias o que deu errado naquelas partidas e em nenhum momento foram ameaçados no duelo no Ginásio Palalottomatica, em Roma.

Depois de ter passado um sufoco considerável para vencer a República Checa na segunda-feira, o Brasil mostrou muita paciência e um desempenho excelente nas recepções e nos saques para atropelar a Alemanha, por 3 sets a 0 (parciais de 25/17, 25/20 e 25/19), e atingir o seu primeiro objetivo dentro do Mundial de Vôlei: avançar às semifinais.

A equipe do técnico Bernardinho terá pela frente agora o tão esperado confronto contra a Itália, dona da casa, a quem o grupo verde e amarelo já se queixou tantas vezes de favorecimento dentro deste Mundial.

Brasil e Itália jogam sábado.

Agora, a Itália

Com o Ginásio Palalottomatica, em Roma, praticamente lotado novamente (com mais de 11,2 mil espectadores), a seleção da Itália fez uma atuação tranquila contra a França, venceu a partida por 3 sets a 1, nesta quarta-feira, com parciais de 25/18, 25/20, 25/27 e 25/19, e enfim chegou à semifinal do Mundial de Vôlei dentro dos seus domínios.

A torcida novamente foi um espetáculo a parte, assim como aconteceu na virada contra os Estados Unidos. Os donos da casa agora fazem o tão esperado confronto contra a Seleção Brasileira por uma vaga na final, no próximo sábado.

Além disso Itália e Brasil já se enfrentaram duas vezes em semifinais de Campeonato Mundial. Nas duas ocasiões, 1990 e 1998, os italianos levaram a melhor e acabaram conquistando o título da competição. Porém, em 2002, os brasileiros conseguiram a vingança, eliminaram os italianos na fase de quartas de final e conquistaram pela primeira vez o título do Campeonato Mundial.