Após a medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Pequim, a seleção brasileira masculina de vôlei aposta na renovação no início da Liga Mundial 2009. Nas duas primeiras partidas da competição, às 10 horas de sábado e domingo contra a Polônia no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, estarão no grupo apenas três atletas que integraram o time vice-campeão olímpico: o líbero Serginho, o levantador Bruno e o ponta Murilo.

Para o técnico Bernardinho, o mais importante neste momento é ter tranquilidade para construir uma nova equipe vencedora. “Repetir todas as conquistas da geração anterior é algo surreal e utópico, mas é claro que buscaremos novas conquistas”, declarou.

O treinador, que assumiu o Brasil em 2001 e já faturou seis vezes a Liga Mundial, acredita que o espírito de grupo continuará sendo essencial. “Na geração passada, encontramos uma boa engrenagem, e poucos jogadores tiveram sucesso fora daquele time. E é isso que temos que achar novamente”, destacou.

Segundo ele, neste início de ciclo a seleção sentirá principalmente a ausência de experiência em uma posição chave: o levantador. “O Bruno é novo e o Marlon, apesar de ser experiente, ainda tem pouca rodagem internacional. E quem entrar irá herdar um legado de grandes jogadores”, afirmou, lembrando as passagens de Maurício, Ricardinho e Marcelinho pela equipe nos anos anteriores.

“A cada ano que passa cresce a minha responsabilidade na seleção, mas sinto neste grupo a mesma vontade de vencer do anterior, e isso é excelente para iniciar um novo ciclo”, disse Bruno.

Para a estreia contra a Polônia, além de Serginho, Bruno e Murilo, a base do time que estará em quadra deve ser formada por Eder, Lucas, Sidão (meios-de-rede), Thiago Soares, João Paulo Tavares (pontas) e Rivaldo (oposto). O ponta Giba e o meio-de-rede Rodrigão, campeões olímpicos em Atenas e prata em Pequim, devem se integrar ao grupo nas próximas rodadas da liga Mundial.