A maratona de viagens da seleção na Copa do Mundo vai ser acelerada a partir do fim da primeira fase da competição. E o grupo já começou a sentir o corre-corre. Nesta quarta-feira, a delegação deixou a cidade de Ulsan e seguiu para a capital da Coréia, Seul, num vôo com um pouco de turbulência. O jogo com a Costa Rica, na madrugada desta quinta, estava marcado em outra cidade, Suwon, para onde os atletas seguiram horas antes de ônibus.

De Suwon, a seleção brasileira vai para o Japão. Kobe deve ser o destino da equipe, para a disputa das oitavas-de-final. Até o final do Mundial, passando por todos os adversários, o Brasil vai continuar no pinga-pinga. Toda vez que vencer um jogo, partirá no dia seguinte para a cidade do próximo confronto. Se não houver nenhum imprevisto, pelos cálculos ou estimativas da comissão técnica, a seleção chegará a Yokohama, local da decisão, em 26 ou 27 de junho. O último jogo do Mundial será disputado em 30 de junho.

SEGURANÇA – A mudança da Coréia para o Japão não vai afetar a estrutura de segurança montada para a seleção brasileira. O responsável pelo assunto na comissão técnica, coronel Castelo Branco, disse que não deverá haver reforço de policiamento para a equipe do Brasil. ?Vamos manter o trabalho de rotina, com a garantia da Fifa de que tudo ocorrerá com tranqüilidade?, declarou. Uma coisa é certa: o acesso da imprensa aos hotéis que vão hospedar a seleção vai ficar mais restrito.