Mais uma vez não foi a atuação que todos esperavam. Burocrático, o Brasil novamente deixou a desejar, mas diante de um adversário fraco, como o Peru, a vitória por 3×0 veio com tranquilidade e com um futebol à base de chutão e cruzamentos, com lampejos de boas jogadas, principalmente na segunda etapa. Com o resultado, a seleção chegou aos sete pontos na classificação das Eliminatórias para a Copa e está em terceiro lugar.

Para enfrentar os peruanos, Dunga mexeu na seleção. Tirou Lucas Lima e Ricardo Oliveira para colocar Renato Augusto e Douglas Costa, respectivamente. Além disso, Elias estava um pouco mais à frente no meio, com Neymar como o único atacante. Na teoria, o time ganharia em velocidade pelos lados do campo, com um meio mais ofensivo e um atacante com mais liberdade. Na prática, quase nada disso foi visto. A seleção continuou fazendo ligação direta da defesa para o ataque na base do chutão e o meio pouco participou no primeiro tempo.
Tanto que o gol não saiu por uma jogada de dribles ou um belo chute. Douglas Costa precisou se jogar em cima da bola para empurrá-la para as redes. Aos 21 minutos, Willian cruzou pela direita e o camisa 7 apareceu na pequena área para abrir o placar na Fonte Nova.

Lá atrás, a defesa também sofreu um pouco. O Peru puxou contra-ataques perigosos, mas, seguro, Alisson fez boas defesas. Uma delas foi à queima-roupa. Aos oito do segundo tempo, Guerrero tentou de bicicleta e o goleiro espalmou. Mas os sustos pararam por aí.

Na frente, Dunga inverteu Willian e Douglas Costa e surtiu efeito. Aos 12, Douglas recebeu pela direita, fez fila na marcação e tocou rasteiro para Renato Augusto, da entrada da área, pegar de primeira e marcar o segundo do jogo.

Depois, o Brasil diminuiu o ritmo e não viu o Peru ameaçar. Mas ainda deu tempo de chegar ao terceiro gol, que saiu também pelo lado direito. Aos 31, Douglas Costa bateu, Penny espalmou e Filipe Luis aproveitou a sobra para mandar para o fundo das redes.