A seleção iraquiana de futebol voltará a jogar no país depois de sete anos de proibição por questões de segurança. Nesta terça, Tareq Ahmed, diretor da federação local, confirmou dois amistosos contra a Palestina – o primeiro será na sexta-feira, em Irbil, na região norte do país.

“Este é outro sinal de que a questão da segurança está melhor”, disse Ahmed, que prevê um grande público nas duas partidas. “Os torcedores estão ansiosos para ver a seleção jogando em seu país”, afirmou.

Os jogadores iraquianos já estão em Irbil – capital da região do Curdistão – para a primeira partida. O treinador da equipe nos amistosos será Nathem Shaker, que assumiu o cargo após o fim do contrato de Bora Milutinovic, comandante da equipe na Copa das Confederações.

Após os amistosos com a Palestina, a federação iraquiana planeja outra partida, com a Tanzânia, em agosto, na capital Bagdá. O último jogo dos iraquianos no país aconteceu no dia 22 de julho de 2002, quando a seleção venceu a Síria por 2 a 1.

Depois, o país mergulhou no caos e na guerra, sobretudo após a invasão norte-americana, em 2003. Nas Eliminatórias das Copas de 2006 e 2010, os iraquianos tiveram de jogar em países vizinhos, como Emirados Árabes Unidos, Jordânia e Síria.