Valquir Aureliano
Aderaldo joga contra o Santos.

Uma tarde para experiências. O técnico Lori Sandri – ainda sem saber do resultado do julgamento de três titulares – aproveitou para fortalecer uma variação tática (e testar novas peças) que deve ser utilizada no jogo de amanhã. O Paraná Clube encara o Santos, às 16h, no Estádio Willie Davids, recorrendo ao 3-6-1, estratégia aplicada com sucesso em alguns jogos deste Brasileirão. A situação tornou-se ainda mais evidente quando a suspensão de André Dias se confirmou.

O atacante, destaque do time frente ao Botafogo, pegou dois jogos ?de gancho? (um deles já cumprido) e não enfrenta o Peixe. Foi o único revés na sessão da 4.ª Comissão Disciplinar do STJD, ontem à noite. O zagueiro Aderaldo e o lateral-direito Neto foram liberados. ?Sabia que seria difícil absolver o André Dias, pois foi um lance claro de carrinho. Por ele ser primário é que levou a pena mínima?, comentou o advogado Domingos Moro. Aderaldo foi suspenso por um jogo (já cumprido) e Neto acabou absolvido. Assim, o Paraná terá todos os titulares do sistema de marcação, com a volta de Daniel Marques.

No coletivo, por precaução, Lori testou outras variações. ?Preferi utilizar os eventuais substitutos. No sábado pela manhã, faço um treino tático e defino o time?, disse o técnico. Assim, quem esteve ontem na Vila Capanema, viu em campo um time bem diferente daquele que vem atuando neste Brasileiro. Ainda mais diante da ausência de Marcos, que foi poupado com dores musculares. Os titulares formaram com Flávio; Daniel Marques, Da Silva e João Paulo; Parral, Rafael Muçamba, Beto, Mário César e Vicente; Flávio Alex e Borges.

?Foi bom para dar uma olhadinha em outras possibilidades?, disse Lori Sandri. Depois de vencer a ?decisão? frente ao Botafogo – resultado que garantiu ao Tricolor a 3.ª colocação – o jogo de amanhã pode valer a vice-liderança. ?É uma chance. Mas, com tranqüilidade e seriedade?, frisou o treinador. O Paraná irá priorizar a marcação e com um meio-de-campo coeso (formado por 3 volantes) espera anular a criatividade do Santos, quase sempre centralizada em Giovanni.

Será o único adversário a receber marcação individual. ?Dois jogadores do Santos desequilibram. Mas, creio que a marcação do Robinho deve ser por setor?, disse Lori. Para o treinador, Gallo procurou manter o Santos com o mesmo perfil tático dos tempos em que Vanderlei Luxemburgo dava as cartas.

Thiago dá ?piti? e técnico ameniza

?Foi só um puxão de orelha.? Com esta afirmação, o técnico Lori Sandri confirmou a escalação do meia Thiago Neves. No treino de ontem à tarde, o jogador trabalhou entre os suplentes, dando lugar a Flávio Alex. Visivelmente contrariado, Thiago treinou ?de cara amarrada? (nas palavras do próprio Lori) e ao término da atividade jogou o colete no chão antes de deixar o gramado.

Thiago Neves foi chamado pelo técnico, que o repreendeu pelo gesto deselegante. ?Conversei com ele na boa?, disse Lori, bem-humorado. ?Procurei mostrar que se ele fizesse isso com um treinador de pouco diálogo, poderia pagar caro.? O técnico deixou claro que o rendimento de Thiago Neves nas últimas partidas não agradou. ?Ele não foi mal, mas pode render mais?, amenizou o técnico.

O jogador, ainda com a cara amarrada, disse que pela sua avaliação fez um bom jogo diante do Botafogo. Não negou ter jogado o colete. ?Sou assim mesmo. Não tenho sangue de barata. Não gostei e extravasei?, disse Thiago. O meia, que diante do esquema tático vem sendo o único articulador no setor de meio-de-campo, voltará a jogar mais à frente, auxiliando Borges no ataque.

Akai é aposta de futuro

O Paraná Clube apresenta mais um reforço para a seqüência do Brasileirão. O atacante Akai (20 anos) se apresenta na segunda-feira. Desde a saída de Renaldo, o clube retomou contatos e pelo menos mais um jogador poderá ser acertado nos próximos dias. Akai é jogador da Eurosports e estava disputando a Série A-3 do Paulista pelo Mirassol. ?É um centroavante de boa estatura e presença de área?, comentou o técnico Lori Sandri.

Akai já havia sido observado pela diretoria tricolor na Copa São Paulo de Juniores, quando ainda atuava pelo São Caetano e usando seu nome: Neto. De lá, o jogador foi para o futebol japonês e quando retornou adotou outro codinome. ?É um jogador jovem, visando não apenas o momento. Temos buscado atletas com este perfil, como já fizemos com o Flávio Alex?, comentou o vice de futebol José Domingos. ?Estamos avaliando outros casos, pois temos tempo para fechar o grupo. Temos poucas carências?, disse o dirigente.

Com o sistema defensivo pronto – com várias opções para zaga, laterais e cabeça-de-área – o Tricolor só deve se preocupar com os setores de criação e ataque. O prazo final para novos registros é 23 de setembro, véspera da 28.ª rodada do Brasileirão. O clube está observando atentamente a Série B, que a partir do dia 10 de setembro terá apenas oito clubes na disputa.