Zeltweg

– Ele não demonstrava nenhuma euforia especial. Apenas a tranqüilidade de quem vê as coisas voltando à normalidade. Depois de um início de ano cheio de problemas e da ameaça de demissão após o GP da Espanha, Antonio Pizzonia parece ter entrado nos trilhos. Foi confirmado pela Jaguar até o fim do ano e ontem apareceu o primeiro resultado da ausência de pressões externas: fez seu melhor treino no ano e larga em oitavo. O companheiro Mark Webber, uma das sensações do ano em treinos, ficou apenas em 17.º depois de cometer vários erros em sua volta lançada.

“É um bom começo. Estava esperando mesmo que meu campeonato começasse aqui, vida nova depois de cinco corridas. Mas minha volta poderia ter sido melhor, cometi um erro na penúltima curva, perdi uns três décimos e poderia subir umas três posições”, falou o amazonense. “Agora, acho que dá para chegar nos pontos. Tenho certeza que tem alguns pilotos na nossa frente com pouquíssimo combustível e isso pode me ajudar.”

Cristiano da Matta, em 13.º, também estava satisfeito. “Tenho de agradecer aos outros pilotos, um monte de gente errou na classificação e com um carro para ficar em 16.º, 17.º, acabei ficando em 13.º. Foi bem melhor do que eu esperava”, reconheceu.