O Atlético terá uma semana cheia para trabalhar, mas ao contrário do que o clube anunciou no começo de setembro, afirmando que o elenco também ficaria em regime de concentração no período entre o jogo com o Fluminense e o Internacional, os jogadores não terão de ficar no CT do Caju todos os dias. De acordo com a assessoria de imprensa, o elenco terá de dormir alguns dias no CT, mas não a semana toda.

Sob este novo regime – um pouco menos recluso -, o técnico Antônio Lopes inicia hoje os testes com a equipe, principalmente para encontrar um substituto para Deivid. O volante recebeu o terceiro cartão amarelo e não enfrenta o Internacional, domingo. Deivid é o desfalque mais preocupante para Lopes, por te se tornado referência na defasa. Sem o camisa 5, Kléberson pode voltar à equipe. Também estão fora deste jogo o atacante Pablo, o lateral Wagner Diniz e o Rafael Santos.

Guerrón é outro jogador que preocupa, ainda mais sem Pablo à disposição. O equatoriano será julgado no STJD amanhã, pela expulsão na partida contra o Flamengo, dia 11 de setembro, sob risco de pegar até seis jogos de suspensão. Ainda que seja condenado com mais de um jogo – pena que não é muito comum pela maneira como foi cometida a falta que resultou na expulsão -, o Atlético pode conseguir efeito suspensivo e o atacante ganhar condição de enfrentar os gaúchos. Com tantas ausências, Lopes terá de mexer novamente no time. “O treinador é responsável pela direção técnica e tática da equipe e tem que arrumar um jeito [de substituir]. Temos a semana inteira para treinar e pensar. Vamos ver como vou arrumar”, disse o treinador.

Em via oposta às saídas, quem pode reaparecer entre os titulares é Marcinho. Se recuperando de lesão, o meio-campo entrou na fase de transição ontem e tem até sexta-feira para mostrar que está recuperado.