Milhares de torcedores cantaram e dançaram no aeroporto internacional de Johannesburgo, nesta terça-feira, para receber a corredora Caster Semenya, que venceu a prova dos 800 metros no Mundial de Atletismo em Berlim, mas que está com o seu gênero sob suspeita, com cartazes como “nossa primeira-dama do esporte”.

Os fãs acreditam que Senemya seja vítima de preconceito da Federação Internacional das Associações de Atletismo (Iaaf, na sigla em inglês) e questionam o tratamento da entidade. Além dos torcedores compareceram ao aeroporto estudantes, políticos e associações em defesa da mulher.

Semenya chegou da Alemanha junto aos outros atletas sul-africanos que competiram em Berlim. Houve um pequeno tumulto durante o desembarque. Tímida, saudou o público, antes de ser recebida por irmãos, pais e Winnie Madikizela-Mandela, ex-mulher de Nelson Mandela.

“Nós estamos aqui para dizer ao mundo inteiro como estamos orgulhosos de nossa menina”, disse Winnie. “Eles podem escrever o que quiserem, nós estamos orgulhosos dela”. Dorcus, mãe de Semenya, também saiu em defesa da atleta. “Ela mexeu com os nossos corações. Nos sentimos poderosos por causa dela”.