Em seu primeiro jogo na história das Copas do Mundo, a seleção de Senegal protagonizou uma das maiores surpresas em 72 anos de disputa, ao vencer a França, campeã do mundo, por 1 a 0, ontem, no Estádio de Seul, pela abertura da 17.ª edição do principal torneio de futebol do planeta.

Foi a terceira vez, desde que o vencedor da Copa anterior passou a inaugurar a seguinte, que ele é superado por uma equipe de menor tradição. A Argentina foi surpreendida em 1982 e 90, respectivamente, por Bélgica e Camarões, ambas as vezes por 1 a 0, mesmo placar imposto agora, no mundial da Coréia do Sul e do Japão, pelos senegaleses aos franceses.

Sem Zidane, vetado por causa de um problema na coxa esquerda, a França perdeu o brilho e, embora mantivesse a posse de bola por mais tempo, não teve o toque a mais que só seu camisa 10, eleito por duas vezes o melhor jogador do mundo, é capaz de dar.

Aos 30′ do primeiro tempo, Senegal fez o gol, em grande estilo. Diouf escapou de Lebouef pela esquerda, cruzou, Petit e Barthez atrapalharam-se e Bouba Diof, rápido, marcou o primeiro gol da Copa do Mundo.

A surpresa deixou a zaga francesa perplexa por alguns minutos, nos quais os senegaleses se animaram mais e passaram a explorar contra-ataques. Nesse momento é que a falta de Zidane se fez sentir com mais força, pois, se os deslocamentos eram feitos e o toque de bola tentado, faltava o homem da virada de jogo, dos passes inesperados, da infiltração para o arremate a gol.

Os campeões do mundo caíam na estréia da campanha em que sonham com o bi.

França: Barthez; Thuram, Leboeuf, Desailly e Lizarazu; Petit, Vieira, Djorkaeff (Dugarry) e Wiltord (Djibril Cisse); Henry e Trezeguet. Técnico: Roger Lemerre.

Senegal: Sylva; Coly, Diatta, Malick Diop e Daf; Aliou Cisse, Diao, Ndiaye e Bouba Diop; Diouf e Fadiga. Técnico: Bruno Metsu.

Juiz: Ali Bujsaim (Emirados Árabes).