Cesc Fàbregas jogou apenas 12 minutos contra a Holanda, sexta-feira, em Salvador, e pouco pôde fazer na goleada de 5 a 1 aplicada pela Holanda. Agora, diante da possibilidade de ser titular contra o Chile, quarta-feira, no Maracanã, o jogador não esconde a ansiedade de entrar em campo.

“Sempre é bom ter um tempo entre uma partida e outra para pensarmos nos erros que cometemos, mas na nossa cabeça queremos jogar o mais rápido possível. Confio muito nesse grupo, nessa equipe. No futebol, em três ou quatro dias as coisas mudam. Temos chance de reverter”, disse o jogador em entrevista coletiva no CT do Caju, em Curitiba.

A Espanha não pode pensar em outro resultado que não seja a vitória contra os chilenos. Em caso de derrota, combinada com triunfo da Holanda sobre a Austrália ou até mesmo um empate, a Espanha estará matematicamente desclassificada da Copa com uma rodada de antecedência. “É uma partida de vida ou morte e temos de ganhar ou ganhar senão voltaremos mais cedo para casa”, reconheceu Fàbregas.

Diante da importância do confronto, o meia pediu valentia aos seus companheiros para apagar a péssima imagem deixada na estreia. Como a Espanha tem um saldo de gols muito desfavorável (-4), o ideal seria vencer com goleada. “O futebol não é único, temos um bom toque de bola e há várias maneiras de jogar. Temos de ser muito valentes e atacar mais. Nossa equipe está capacitada para atacar e controlar a partida, temos jogadores de qualidade para colocar pressão sobre o Chile.”

Fàbregas comparou a partida de quarta-feira com o confronto de quatro anos atrás entre Espanha e Chile, na Copa da África do Sul. Em 2010, a seleção espanhola também perdeu na estreia e enfrentou o Chile na terceira rodada da primeira fase precisando da vitória para se classificar – venceu por 2 a 1. “Se parar para pensar, o que time fez nos últimos seis anos é muito significativo. Agora, estamos na mesma posição do Mundial de 2010, contra o mesmo adversário. Como há quatro anos, temos de ganhar do Chile, só que agora com mais gols. Devemos jogar com a mesma atitude e dinamismo, mas buscar mais o gol.”