Arquivo
Diferenças: Gionédis quer subir. Petraglia não se importa em cair.

Mesmo que suba à 1.ª Divisão este ano, o Coritiba seguirá sentindo até dezembro de 2009 os efeitos do rebaixamento à Série B do Brasileirão. A arrecadação do clube com a Timemania, nova loteria da Caixa Econômica Federal, será quase três vezes menor do que a dos atuais times da Série A, incluindo os rivais Paraná e Atlético.

O decreto que regulamenta a lei de criação da Timemania, sancionado no dia 14 pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, prevê que 13% do total arrecadado com a loteria sejam divididos em partes iguais entre os 20 integrantes da Série A de 2007. Já os 20 clubes da Série B receberão no total 5% da bolada, e os demais 59 participantes da loteria dividirão 2% do valor.

Assim, se a previsão de R$ 500 milhões de arrecadação anual for confirmada, cada time da elite terá direito a R$ 3,25 milhões, enquanto as equipes da Segundona levarão R$ 1,25 milhão. Todos os clubes inscritos na loteria terão ainda outros 2% do bolo (ou R$ 10 milhões, conforme a expectativa da Caixa), repartidos conforme a proporção de apostas indicadas como ?Time do Coração?. A verba chegará em forma de abatimento das dívidas tributárias federais (INSS, Receita Federal e FGTS).

O decreto 6.187/07 mantém esta repartição da verba nos próximos dois anos, independentemente de quem sobe ou desce de divisão no Brasileiro. A partir de 2010, o chamado ?grupo 1?, composto pelos 20 clubes com direito a dividir 13% da arrecadação, será definido pelas apostas no ?Time do Coração?.

O presidente do Coritiba, Giovani Gionédis, mostra-se conformado com a divisão. ?O importante é que a loteria servirá para quitar uma dívida impagável. Como não há só a vantagem, o Coritiba terá que assumir seu ônus?, afirmou. O dirigente conta que o Departamento Jurídico do clube avalia a documentação necessária antes de oficializar a adesão à Timemania.

Atlético e Paraná, que participaram do lobby no Congresso para aprovação da loteria, também entrarão na jogatina. O Tricolor assinou ontem a papelada exigida pela Caixa, que deve lançar a Timemania ainda em 2007. Os clubes têm até o dia 14 de setembro para fazer o cadastramento.

Clubes têm que abrir mão

Criada para quitar com dinheiro federal as dívidas acumuladas em décadas de má administração, a Timemania foi vista como salvação pelos clubes de futebol. Mas um dispositivo da regulamentação da lei desagradou aos grandes beneficiários da jogatina, que prometem recorrer à Justiça.

A lei obriga os clubes a retirarem ações judiciais em que contestam as dívidas. Quem não o fizer não poderá aderir à loteria. Clubes como Vasco e São Paulo já anunciaram que entrarão na Justiça contra o mecanismo.

O Paraná Clube, por exemplo, contesta judicialmente uma multa de R$ 4 milhões aplicada pelo INSS. O presidente José Carlos de Miranda disse que o clube deverá cumprir a exigência do governo e retirar a ação. Pelo menos por enquanto. ?Já ganhamos a ação numa 1.ª fase. Vamos reconhecer a dívida, mas, se ela não é correta, não há porque continuar pagando. Estudamos a melhor forma jurídica de agir?, disse Miranda.

A loteria funcionará de forma parecida com a Mega Sena, mas, em vez de números, serão utilizados os escudos de 80 clubes.