A confusão generalizada após o empate em 3×3 entre Operário e Cuiabá, na tarde deste domingo (16), em Ponta Grossa, no primeiro jogo da final da Série C do Campeonato Brasileiro, vai deixar o Fantasma desfalcado para o duelo da volta, neste sábado, na Arena Pantanal, em Cuiabá. Isto porque o árbitro gaúcho Leandro Pedro Vuaden conseguiu identificar apenas que o atacante Schumacher se envolveu na confusão e expulsou o centroavante depois da partida.

+ Leia mais: Operário empata com o Cuiabá e jogo termina em briga

“Após o apito final, enquanto os jogadores se dirigiam ao seus respectivos vestiários (túnel de acesso próximos) percebemos a existência de tumulto, não sabendo precisar como o mesmo se iniciou, devido a presença de jogadores titulares e reservas, comissões técnicas de ambas equipes como também a presença de seguranças particulares. Apesar do esforço da equipe de arbitragem em tentar identificar todas as pessoas envolvidas (agressores e agredidos) somente foi possível identificar claramente que o atleta de nº 20 sr. Thiago Maier Santos da equipe do operário ferroviário e.c, desferiu dois socos com a mão direita em um integrante da equipe adversária cuiba e.c não sendo possível identificar local atingido, diante do fato o referido atleta foi expulso, todavia não foi apresentado o cartão vermelho, face o tumulto generalizado”, escreveu Vuaden em um trecho da súmula.

Ainda de acordo com o árbitro, a Polícia Militar fez toda a segurança da equipe de arbitragem durante o tumulto e nada de mais grave acontecer. Leandro Pedro Vuaden também relatou que não houve invasão de nenhum torcedor ao gramado e, por isso, o Operário não deve ter maiores problemas no STJD.

+ Confira também: Argel Fucks é apresentado como novo técnico do Coritiba

“Informo que a dificuldade se deu da necessidade de ficarmos atentos a nossa integridade física, face possível invasão de campo. Outra dificuldade por nós percebida foi o fato de ser uma competição que não atuamos com frequência, não conhecendo os atletas por fisionomia. Outro fator dificultador foi a simultaneidade dos fatos, situação que inviabiliza a narração de forma fidedigna. em tempo informo que tivemos a proteção da policia militar, não sofrendo nenhum ataque, dentro do campo e saída de estádio, como também não houve nenhuma invasão de torcedor ao gramado, durante todo o fato acima citado. Era o que tenho para relatar”, encerrou o árbitro gaúcho.

Diante de todo esse clima, o duelo da volta, na Arena Pantanal, ganhou mais alguns ingredientes. Criou-se uma rivalidade quando o Cuiabá, na primeira fase, goleou o Operário em casa por 4×0 e jogadores do time mato-grossense teriam tirado fotos tirando sarro do Fantasma. Por isso, o clima mais tenso foi evidente no duelo de ida da final da Série C e deve intensificar para a partida de volta e que vai decidir o campeão da terceira divisão.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!