Teoricamente, as regras para a disputa da Série Prata de 2005, que acontece a partir de 22 de maio e deve terminar na primeira semana de outubro, foram lançadas ontem, após um arbitral realizado na Federação Paranaense de Futebol (FPF). No entanto, na prática, só na segunda-feira a competição será oficializada.

Explica-se: ontem, participaram da reunião 16 clubes, mas só disputará quem não tiver pendências na tesouraria, departamento de árbitros, TJD e principalmente filiação na CBF. É que a entidade não registra jogadores amadores ou que não pertençam a clubes filiados. A filiação custa 2.000 Ufirs e R$ 600,00 de taxa anual. A Federação quer se prevenir das desistências no meio da competição, como aconteceu no ano passado. ?Fizemos algumas exigências e os clubes terão até segunda para cumpri-las. Quem não conseguir, sai.? O que não deu para entender é por que as regras foram determinadas, se não há sequer certeza sobre a participação das 16 equipes.

Estiveram presentes no arbitral representantes de Cascavel, Platinense, Foz, Portuguesa Londrinense, Grêmio Maringá, Operário, Pato Branco, Grêmio Umuarama, Goioerê, Dois Vizinhos, Arapongas, Jaguaraiva, São José, Real Brasil, Kashima e Toledo Colônia Work.

Em comum acordo, eles dividiram os dezesseis prováveis participantes em dois grupos de oito equipes, em chaves regionalizadas. Após a disputa em turno e returno, classificam-se quatro de cada grupo e os dois últimos são rebaixados. Essas equipes são reagrupadas em dois grupos de quatro, que jogam novamente em turno e returno dentro do grupo. Das quartas, saem os quatro semifinalistas, que jogam em cruzamento, em jogos de ida e volta. Os dois melhores sobem para a Série Ouro e decidem o título.