Melbourne – Nem só fama e beleza marcam a carreira de Maria Sharapova. A tenista russa tem talento e um invejável instinto vencedor, um ingrediente imprescindível na fórmula das grandes campeãs. Em seu nervoso jogo diante da compatriota Nadia Petrova, mesmo sem jogar bem, ser atrapalhada pelo vento e cometer um grande número de erros, ela conseguiu vencer por 7/6 (8/6) e 6/4, depois de salvar dois set points.

Com isso, garantiu sua classificação para as semifinais do Aberto da Austrália. Sua próxima adversária será a belga Justine Henin-Hardenne, uma das mais técnicas jogadoras do circuito, que passou pela número 1 do mundo, a norte-americana Lindsay Davenport, por 2/6, 6/2 e 6/3.

Esta derrota nas quartas do Aberto da Austrália poderá tirar Davenport da liderança do ranking, posição que ocupa desde 24 de outubro do ano passado. A belga Kim Clijstes e a francesa Amelie Mauresmo têm chances de assumir o posto de número 1.

Foi a terceira derrota de Petrova para Sharapova nas quartas-de-final de um Grand Slam. Apesar das reclamações, demonstrou respeito. "Maria soube aproveitar melhor as oportunidades", reconheceu.

Para a próxima partida, Sharapova confessa que vai precisar mais do que seu instinto vencedor. "Tenho de melhorar o meu serviço, se quiser vencer Justine Henin", admitiu.

A tenista belga também está atenta. "Sei que Sharapova quer muito chegar à final e não posso lhe dar qualquer chance", afirmou Henin.

Lição

Campeão da Master Cup de Xangai, o argentino David Nalbandian garantiu uma vaga nas semifinais do Aberto da Austrália. E foi com uma impressionante vitória sobre o francês Fabrice Santoro por 7/5, 6/0 e 6/0.

"Depois do primeiro set, tomei uma verdadeira aula de tênis", admitiu o veterano tenista francês, de 33 anos. "Tudo o que tentava tinha uma resposta melhor."

Nas semifinais, Nalbandian enfrenta Marcos Baghdatis, do Chipre. Em 54.º lugar no ranking mundial, ele surpreendeu ontem o croata Ivan Ljubicic, ao vencer por 3 sets a 2, com parciais de 6/4, 6/2, 4/6 3/6 e 6/3.