Muricy Ramalho apontou a ausência de Souza como um dos fatores preponderantes para a eliminação do São Paulo no Campeonato Paulista diante do Penapolense. No entanto, o próprio jogador não concorda com o técnico e acredita que não teria feito tanta diferença para mudar a sorte da equipe no confronto válido pelas quartas de final da competição.

Na opinião do jogador, que ficou fora da partida por causa de um estiramento no joelho direito sofrido no clássico contra o Corinthians, no dia 9 de março, a equipe não teve uma noite feliz e Wellington, que foi seu substituto, fez um bom papel na partida.

“Não faria tanta diferença se eu estivesse, talvez ajudasse em uma coisa ou outra. Quem entrou também não fez tanta diferença, acho que comigo seria a mesma coisa. O Wellington entrou, fez seu melhor, só que o São Paulo não fez o jogo acontecer. Sei que haverão os comentários porque não estava e isso é normal, eu até agradeço, mas acho que não foi tanta diferença”, minimizou.

Já recuperado, Souza foi utilizado por Muricy no primeiro esboço da equipe para o restante da temporada. Nesta terça-feira, ele foi escalado no meio ao lado de Maicon e Paulo Henrique Ganso e ficou encarregado de proteger a defesa. Apesar de já estar liberado para jogar normalmente, ele admite um pouco de insegurança nos movimentos por causa do longo período de inatividade.

“Estou pegando confiança ainda, não sinto dor mas um pouco de insegurança porque foram 21 dias parado, mas acho que estou evoluindo e é um processo normal”, analisou o camisa 8 do time são-paulino.