Líder do Brasileirão com 16 pontos, o Cruzeiro corre o risco de ter os atacantes Marcelo Moreno e Luan suspensos por até seis partidas pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). O motivo são as expulsões no clássico com o Atlético-MG, válido pela quinta rodada. Já o diretor de futebol do clube, Alexandre Mattos, pode ser suspenso por até um ano por causa das críticas contra a auxiliar Fernanda Colombo, que trabalhou no clássico.

Expulso aos 30 minutos do segundo tempo, Luan foi denunciando pela procuradoria do STJD no artigo 254 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que prevê suspensão de um a seis jogos e multa de até R$ 100 mil. Na súmula, o árbitro da partida, Héber Roberto Lopes, relatou ainda que “após a amostragem do cartão vermelho, o atleta fez, repetidamente, por três vezes, um gesto característico insinuando roubo”.

Artilheiro do Brasileirão com cinco gols, Marcelo Moreno levou vermelho no fim da partida e, revoltado, afirmou que iria “acabar” com o árbitro na TV. “Isso é uma vergonha, já está tudo armado, palhaçada! Vou na televisão acabar com você, safado!”, teria dito Moreno, ainda de acordo com a súmula. Por conta disso, o atacante foi denunciado por ameaças (artigo 243-C do CBJD) e ofensas ao árbitro (artigo 243-F). Se punido, pode ser suspenso por até 180 dias pela primeira infração e em até seis jogos pela segunda.

Já o diretor de futebol do Cruzeiro, Alexandre Mattos, criticou a atuação da auxiliar Fernanda Colombo ao fim do jogo e disse que ela “deveria posar para uma revista masculina em vez de atuar em partidas de futebol”. Ele foi denunciado no artigo 243-G (discriminação), que prevê pena de 120 a 360 dias de suspensão, além de multa que pode chegar a R$ 100 mil. O caso será julgado na quarta-feira pela Terceira Comissão Disciplinar do STJD.