No mesmo dia em que Usain Bolt foi eliminado da final dos 100 metros, a torcida sul-coreana comemorou o desempenho do seu outro xodó: o sul-africano Oscar Pistorius. Biamputado, o atleta que corre com próteses de fibra de carbono avançou às semifinais dos 400 metros neste domingo. O tempo dele, 45s39, foi o 14.º das eliminatórias.

“Eu trabalhei muito duro para estar aqui”, disse Pistorius, que comemorou: “Foi fenomenal correr”. Esta foi a primeira vez que o atleta paraolímpico sul-africano participou de um Mundial contra atletas sem deficiência. “Foi muita pressão na corrida e temos muito trabalho para amanhã.”

RESULTADOS – Com as seis medalhas conquistadas no primeiro dia (pódio completo nas provas femininas da maratona e dos 10.000 metros), o Quênia continua liderando o quadro de medalhas do Mundial.

Neste domingo, cinco provas foram encerradas. Logo pela manhã na Coreia do Sul, a Rússia fez ouro e prata na disputa da marcha atlética de 20km, com Valeriy Borchin e Vladimir Kanaykin. O colombiano Luis Fernando López foi bronze.

No lançamento de disco feminino, a chinesa Yanfeng Li foi a campeã, seguida de Nadine Müller (Alemanha) e Yarelys Barrios (Cuba). Na prova masculina dos 10.000 metros, os quenianos não repetiram o domínio visto entre as mulheres. A vitória foi de Ibrahim Jeilan, da Etiópia, país que ficou também com o bronze, de Imane Merga. O britânico Mohamed Farah foi o segundo colocado.

Nos 100m masculino, o ouro foi de Yohan Blake (Jamaica), seguido de Walter Dix (EUA) e Kim Collins (São Cristóvão e Neves). Já na prova feminina do salto em distância, a nova campeã mundial é Brittney Reese (EUA). A prata foi para Olga Kucherenko (Rússia), enquanto Ineta Radevica (Letônia) ficou com o bronze.

Nenhum recorde mundial ou do campeonato foi batido neste domingo. Nenhum atleta chegou sequer a fazer a melhor marca do ano nas provas já realizadas.