Peterson somou, nas 2 ondas, 15,67 pontos.

A etapa final do SuperSurf 2002 tem tudo para ser emocionante. A competição começou ontem, em ondas difíceis de 1,5m na Prainha e vinte surfistas podem conquistar o título brasileiro de surfe profissional nesta semana no Rio de Janeiro (RJ). O líder do ranking Andreas Eduardo (SC) estreou com vitória, mas o grande destaque na chuvosa quarta-feira foi o tricampeão brasileiro Peterson Rosa, que registrou a maior marca do dia – 15,67 pontos de 20 possíveis – em sua primeira apresentação.

No primeiro dia, ninguém é eliminado. Os 48 competidores são divididos em dezesseis baterias de três atletas, com o vencedor de cada disputa seguindo direto para a terceira fase, enquanto os dois perdedores participam de uma repescagem. As finais do SuperSurf do Rio de Janeiro ocorrem no domingo, mas o campeão brasileiro pode até ser definido antes.

Dos vinte candidatos ao título do SuperSurf 2002, onze não conseguiram vencer na quarta-feira e vão ter mais um dia de trabalho nas ondas da Prainha, que devem estar ainda maiores e mais difíceis no segundo dia. Dois deles – Jojó de Olivença (BA) e Joca Júnior (RN) – foram derrotados pelo cearense Claudemir Lima no primeiro confronto do dia. E em outras cinco baterias, dois surfistas que estão na briga pelo troféu também estrearam juntos disputando uma única vaga para a terceira fase.

Fábio Gouveia (PB) despachou Armando Daltro (BA) para a repescagem na terceira bateria. Na última onda, Leonardo Neves (RJ) superou Jihad Kohdr (PR) na quinta. O atual campeão brasileiro do SuperSurf, Tânio Barreto (AL), ganhou de Maicon Rosa (PR) na oitava. Alexandre Almeida (RJ) venceu o vice-líder do ranking Wagner Pupo (SP) na nona. E no último confronto envolvendo dois concorrentes ao título, Peterson Rosa (PR) deu um show para derrotar o vencedor do SuperSurf da Prainha no ano passado, Danilo Costa (RN), registrando a maior pontuação do dia -15,67 pontos.

Bronco

“É muito bom começar bem, mas é apenas a primeira bateria e ainda tem um longo caminho pela frente”, disse Peterson Rosa, único surfista com três títulos brasileiros -1994/1999/2000 – na história da Abrasp. E ele está na briga de novo neste ano. “Não tive um ano muito bom, mas fiz a final lá em Saquarema e que bom que ainda tenho chances. Nem imaginava disputar o título, mas se a galera der mole, o Bronco papa”, brincou Peterson, que estreou na Prainha com uma nota 8,5 e na última onda arrancou um 7,17 para quebrar o recorde de 15,43 pontos registrados pelo carioca Marcelo Trekinho na quarta bateria.

Abençoado

Diferente das duas primeiras edições, a temporada de 2002 está sendo abençoada por Netuno, que mandou boas ondas em todas as cinco etapas já realizadas. “Realmente, o circuito neste ano contou com boas ondas em todas as etapas”, disse o atual campeão brasileiro, Tânio Barreto.