Leandro Bastos saindo do tubo. Ele
conseguiu a nota 10 nas baterias de ontem.

O paranaense Jihad Kohdr e o baiano Jojó de Olivença chegaram perto, mas a primeira nota 10 do SuperSurf 2004 só saiu no nono confronto de ontem, em São Sebastião (SP).

São Sebastião, SP – Como não podia deixar de ser, ela veio num tubo espetacular surfado pelo jovem carioca Leandro Bastos, de apenas 18 anos de idade. E o segundo 10 também foi tirado por outro carioca, Gustavo Fernandes, que ainda ampliou para 18,17 pontos o seu próprio recorde do primeiro dia. Apenas a categoria masculina entrou no mar na quinta-feira de sol e ótimas ondas, num cenário perfeito para um campeonato de surfe. O segundo dia da segunda etapa da divisão principal do Circuito Brasileiro de Surfe Profissional foi inaugurado com mais uma vitória do catarinense Neco Padaratz na abertura da terceira fase da competição. Apesar das séries estarem demorando mais para entrar, as ondas continuaram passando de 2 metros de altura e produzindo muitos tubos na Praia de Maresias, a onda nota 10 do SuperSurf.

“Eu sabia que ia sair um 10 aqui nesse campeonato, só não esperava que fosse comigo”, confessou Leandro Bastos, que está em sua primeira temporada como surfista profissional. “Quando peguei a onda, rodou um tubo muito seco e pensei até que ia fechar, mas aí me coloquei lá dentro, fui andando, andando e consegui sair, foi alucinante”, contou Leandro, sobre a nota 10 unânime dos juizes.

Antes dele, o paranaense Jihad Kohdr já havia batido a nota 9,73 do carioca André Gioranelli, a maior do primeiro dia. Logo em sua primeira onda, Jihad pegou um tubo fantástico e dois juizes deram 10, mas os outros três não e a média da nota ficou em 9,87. “Tive a maior sorte. O Danilo (Costa) já abriu com uma onda boa e eu peguei a de trás, uma onda perfeita, peguei o maior tubão, dei umas duas aceleradas lá dentro e até pensei que ia tirar a nota máxima, mas faltou um pouquinho”, lamentou Jihad, que derrotou o potiguar Danilo Costa por uma pequena diferença: 12,70 x 12,27 pontos.

Os tubos decidiram a maioria das baterias. O baiano Jojó de Olivença abriu sua bateria com um 9,5 para eliminar o catarinense Thiago Machado na segunda bateria do dia, logo depois de Neco Padaratz conquistar sua terceira vitória em Maresias e se classificar para enfrentar o bicampeão brasileiro do SuperSurf, Leonardo Neves (RJ), na quarta rodada. “Estão vindo poucas ondas nas baterias e não pode desperdiçar a chance porque senão complica”, resumiu o veterano Jojó.

Ao contrário dele, o também experiente Fábio Gouveia só conseguiu garantir a vitória sobre o paulista Bruno Moreira nos minutos finais da sua bateria, quando achou uma boa onda que lhe rendeu dois tubos. “Foi o maior sufoco, mas no finalzinho consegui pegar a onda que procurei durante toda a bateria”, contou Fabinho, que agora vai reeditar a grande final da primeira edição do SuperSurf em 2000 na Praia de Maresias. Naquele ano, ele derrotou o paranaense Peterson Rosa, que defende o título da etapa de São Sebastião neste ano e já vai estrear contra Fábio Gouveia na quarta fase.

O único representante de São Sebastião, Danylo Grillo, também avançou para a rodada em que os principais cabeças-de-chave do SuperSurf 2004 vão fazer suas primeiras apresentações na Praia de Maresias.